Alerta amarelo para atraso de salários e para reajustes concedidos pelo Gov Tarso Genro

143

Com críticas ao governo Tarso Genro, Piratini anuncia cortes de R$ 1 bilhão no orçamento do Estado

Entre secretários e o vice, Cairoli, o governador José Ivo Sartori reafirmou necessidade de contenção. Foto: Governo RS/Divulgação
Entre secretários e o vice, Cairoli, o governador José Ivo Sartori reafirmou necessidade de contenção. Foto: Governo RS/Divulgação

Uma das telas da apresentação do secretário da Fazenda, Giovani Feltes, elencou 13 motivos para a crise financeira do Rio Grande do Sul

Esperada desde o início de janeiro, a apresentação dos dados das finanças do Estado pelo governador José Ivo Sartori (PMDB) — que resultou em um corte de R$ 1,037 bilhão no orçamento das secretarias — foi marcada por críticas ao governo Tarso Genro (PT).

Durante uma hora, na manhã desta quinta-feira, o secretário da Fazenda, Giovani Feltes, expôs números que mostram o esgotamento das fontes de financiamento do déficit por parte da administração anterior. Uma das telas da apresentação elenca 13 motivos para a crise. Outra crítica aponta diz respeito aos saques feitos pelo governo Tarso no caixa único e na conta dos depósitos judiciais.

Ainda que tenha dito não querer “olhar pelo retrovisor”, Feltes não poupou o governo anterior. Repetiu que o déficit previsto para 2015 é de R$ 5,4 bilhões e disse que a administração de Tarso gastou R$ 663 milhões sem autorização. O valor corresponde a dinheiro de investimentos que foi gasto com custeio. Além disso, o Piratini afirma que Tarso sacou R$ 11,8 bilhões do caixa único e deixou um passivo de R$ 8 bilhões com precatórios.

– Não queremos olhar para o retrovisor. Todos somos culpados – ponderou Feltes.

O secretário apresentou um detalhamento de dados sobre o funcionalismo, incluindo a informação de que serão gastos R$ 4 bilhões com aumentos salariais concedidos a servidores da segurança pública até 2019. Segundo o estudo da Fazenda, o Estado tem, hoje, mais aposentados do que servidores ativos.

No meio da apresentação, Feltes falou sobre o possível atraso de salários e disse que as decisões do Judiciário, que determinou pagamento em dia, “não vão aumentar o dinheiro do caixa”.

As diretrizes de enfrentamento da crise também foram expostas. A maioria diz respeito a corte de gastos e busca de apoio com o governo federal. O ato foi o primeiro da Caravana da Transparência, série de reuniões que o governo fará em nove municípios para apresentar os números das finanças.

Decreto para economizar R$ 1 bi

Antes da exposição dos dados à imprensa, o governador José Ivo Sartori fez um rápido pronunciamento e detalhou o decreto, publicado hoje, que corta gastos nas secretarias e em outros níveis de governo.

* Zero Hora