Prefeito de Cidreira reclama da falta de policiais na cidade

188
IMAGEM ILUSTRATIVA
IMAGEM ILUSTRATIVA

Só cinco PMs atendem o município, garante o gestor

Uma semana após o registro de umachacina que resultou na morte de seis pessoas em Cidreira, no litoral Norte, o prefeito da cidade, Milton Terra Bueno (PMDB), reclama de falta de efetivo para garantir a segurança do bairro Nazaré, palco do crime ocorrido em 12 de abril. Só cinco PMs atendem o município, garante o gestor.

Antes do crime, Bueno pediu ao governo do Estado reforço no policiamento ostensivo. Cidreira não dispõe de Guarda Municipal, mas registra cerca de 50 empresas privadas de segurança, alegou o prefeito.

Sobre o local onde ocorreu a chacina, classificado como “antro” pela Polícia Civil, Bueno lamentou não ter como interferir no terreno, que é privado. A delegada Ana Luiza Tarouco, que trata do inquérito sobre a chacina, havia sugerido reutilizar o imóvel para evitar o consumo e a venda de drogas no local.

Ainda sem revelar detalhes sobre a chacina, a delegada garante estar colhendo provas que vão auxiliar na elucidação do caso. A investigação cogita que parte do grupo tenha morrido por estar no local no dia do crime, e não por ter desavenças com os executores. Conforme a delegada, o alvo principal dos desafetos foi morto.

Para a PC, a chacina foi motivada por disputas entre facções rivais pelo controle do tráfico no bairro Nazaré. Um grupo da Capital pode estar envolvido nas execuções. A investigação revela que pelo menos três homens chegaram ao local e atiraram.

Lucas Rivas/Rádio Guaíba