Audiências públicas debaterão aumento da violência no RS

122
PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 08.02.15: Marcha dos concursados da Polícia Civil que aguardam ser chamados pelo Governo Estadual. Foto: Alina Souza/Sul21
PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 08.02.15: Marcha dos concursados da Polícia Civil que aguardam ser chamados pelo Governo Estadual. Foto: Alina Souza/Sul21

Marco Weissheimer

A ação de uma quadrilha de 15 pessoas que invadiu um edifício no bairro Rio Branco e assaltou moradores, no início da manhã desta segunda-feira (18), reforçou a preocupação na área da segurança com as possíveis consequências da política de corte de gastos, implementada pelo governo estadual. A preocupação central é que a diminuição do número de policiais nas ruas e em trabalhos de investigação, resultante de cortes no pagamento de horas extras, diárias e gastos com combustíveis, além de estimular a criminalidade local, poderia também estar atraindo criminosos de outros estados para agir no Rio Grande do Sul.

Entidades de classe dos policiais, como o Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia do RS (Ugeirm) e a Associação Beneficente Antônio Mendes Filho, que reúne servidores de nível médio da Brigada Militar, vem advertindo que a precarização dos serviços da Segurança Pública está alimentando o crescimento da violência no Estado.

Também nesta segunda, a voz do Procurador-Geral de Justiça do Estado, Eduardo de Lima Veiga, somou-se a dos servidores da área da Segurança Pública, advertindo para os riscos da política de cortes de gastos que vem sendo aplicada pelo governador José Ivo Sartori (PMDB). Após um encontro com o chefe do Executivo gaúcho no Palácio Piratini, Veiga manifestou a jornalistas preocupação com a lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) encaminhada pelo governo à Assembleia Legislativa na semana passada. Na avaliação do Procurador, a proposta de congelamento de investimentos e custeio, prevista na LDO, vai inviabilizar operações do Ministério Público e da Polícia, que exigem horas extras, diárias, aluguel de carros e combustível, entre outros gastos.

Na semana passada, a bancada do PT garantiu na Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa a realização de duas audiências públicas para debater a situação da segurança e do sistema prisional no Estado. O Secretário Estadual da Segurança, Wantuir Jacini, será convidado a explicar a situação do setor e a apresentar as propostas do governo para enfrentar o crescimento da violência. Também serão convidados representantes do Poder Judiciário, da Brigada Militar, Polícia Civil, Susepe e Ministério Público Estadual.

Entre outros temas, essas audiências debaterão os principais crimes em evidência no Estado, como os homicídios, furto e roubo de veículos, tráfico de drogas e execuções ligadas à guerra entre quadrilhas de traficantes. Esses encontros também debaterão a precarização das condições de trabalho dos servidores da Brigada Militar, da Polícia Civil e da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), além da situação dos concursados do setor que aguardam pela nomeação. As datas das audiências públicas devem ser definidas esta semana pela Comissão de Segurança e Serviços Públicos.

Aumento de execuções e outros crimes

Um dos fenômenos que vêm preocupando autoridades do setor é o aumento de casos de violência extrema como execuções em público à luz do dia, esquartejamentos, balas perdidas e desaparecimento de pessoas em circunstâncias até hoje não explicadas. Confira alguns desses casos:

Tiroteio com morte na Protásio Alves: Um grupo de criminosos, a bordo de dois carros, disparou uma série de tiros contra os ocupantes de um Hyundai. O motorista morreu na hora e um passageiro teve ferimentos graves. (13/03/2015)

Desaparecimento de líder comunitário: Jorge Leandro da Silva, ex-funcionário da Carris e líder comunitário morador na Vila dos Herdeiros, bairro Agronomia, foi sequestrado em sua própria casa na madrugada do dia 27 de março. Até hoje está desaparecido.

Execução dentro de um ônibus: Um homem foi fuzilado com tiros de uma submetralhadora dentro de um ônibus da linha Passo das Pedras, no corredor da avenida Farrapos, região central de Porto Alegre. (16/04/2015)

Execução em caminhão guincho: Dois homens desceram de um automóvel na esquina da avenida Assis Brasil com a Sertório e atiraram várias vezes contra os ocupantes de um caminhão guincho. Os dois homens que estavam no veículo morreram. (27/04/2015)

Criança vítima de bala perdida: O menino Richard Kaun de Souza, 9 anos, foi baleado na cabeça em Canoas, na casa da avó. (05/05/2015)

Casal executado a tiros: Kellen Monteiro Dorneles e Luis Antônio da Rosa foram assassinados na avenida Bento Gonçalves, em Porto Alegre, dentro do Fiat Uno em que estavam. (06/05/2015)

Execução na PASC: Teréu, apontado como líder do tráfico de drogas na Zona Leste de Porto Alegre, foi assassinado por outros detentos dentro da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas, por asfixia. (07/05/2015)

Corpos esquartejados encontrados na Zona Sul: Dois corpos foram encontrados esquartejados dentro de um poço abandonado, na zona Sul de Porto Alegre. As vítimas eram uma mulher e um adolescente. A polícia suspeita que sejam mãe e filho, que estavam desaparecidos desde janeiro. (15/05/2015)

Sul21