Folha de junho do funcionalismo estadual será paga no dia 30

151
Secretário falou sobre crise das finanças em entrevista na Rádio Gaúcha Foto: Rosane de Oliveira  / Rádio Gaúcha
Secretário falou sobre crise das finanças em entrevista na Rádio Gaúcha
Foto: Rosane de Oliveira / Rádio Gaúcha

Mesmo assim, secretário da Fazenda não descarta atrasos

O secretário estadual da Fazenda, Giovani Feltes, anunciou nesta quarta-feira (24) que o funcionalismo público vai receber em um único dia no mês de junho. A informação foi confirmada no programa Gaúcha Atualidade.

Tradicionalmente, a folha dos servidores do Estado é paga em três dias consecutivos (separados por categorias). Este mês, porém, o governo optou por esperar pelo último dia (dia 30) para conseguir arrecadar o maior volume de recursos possível.

“Não teremos o calendário de três dias. O pagamento será todo no dia 30″, afirmou.

Apesar da opção pelo último dia, ainda assim, o governo gaúcho não conseguiu confirmar o pagamento dos servidores sem atraso.

“Não há garantia de que haja dinheiro no dia 30 para pagar 100% da folha. Por um lado, temos que repassar recursos para hospitais e Santas Casas. E, ao mesmo tempo, temos que cumprir decisões judiciais para não atrasar salários de servidores”, explicou.

Mudanças no plano de aposentadoria
O secretário da Fazenda  também informou no programa Gaúcha Atualidade que o Piratini pretende encaminhar até o final deste ano um projeto de lei à Assembleia Legislativa que modifique o plano de aposentadoria dos servidores estaduais.

A intenção é elaborar um projeto semelhante ao do governo federal, que criou a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (Funpresp). A iniciativa da União prevê que servidores que recebam acima do teto contribuam com um percentual maior para o fundo, caso queiram se aposentar com salário integral.

“É bem provável que num futuro bem próximo, o Executivo remeta à Assembleia algo muito próximo, se não igual ao que a presidente Dilma fez”, afirmou.

De acordo com o secretário, o governo do Estado prepara as etapas “três” e “quatro” do ajuste fiscal gaúcho, com medidas mais amargas para enfrentar a crise nas finanças públicas.

GAÚCHA