Servidores saem indignados de audiência pública e ato dia 7 de julho ganha força

136

t1A audiência pública sobre segurança pública  realizada, hoje (18/6), no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa do RS, que ficou completamente lotado por servidores da segurança pública gaúcha, deputados, prefeitos e vereadores de todas as partes do estado, aumentou a indignação da categoria e acabou fortalecendo a mobilização para a caminhada contra o desmonte da segurança pública, que ocorre dia 7 de julho, no centro de Porto Alegre, a partir do meio-dia.

t2

Um dos motivos que deixou a todos insatisfeitos foi a comunicação, minutos antes do início do evento, que o secretário de segurança  pública, Wantuir Jacini, não compareceria. De acordo com o presidente da Comissão de Segurança e Serviços Públicos, deputado Nelsinho Metalúrgico, ” havia um acordo e o secretário tinha garantido a presença. Quem ficou na mira dos servidores foi o deputado peemedebista Álvaro Boesel, que intermediou o contato. O parlamentar arriscou-se, mais uma vez, ao afirmar que o governo pagará os reajustes já aprovados até 2018.

Quem representou a SSP – Secretaria de Segurança Pública – foi o coronel Porto, vaiado intensamente. Ainda durante o discurso de Porto o público ficou de costas e cantou o hino rio-grandense.

t3

Os representantes das associações fizeram discursos inflamados. O presidente da ABAMF usou a expressão que está em voga; “Do jeito que está só chamando o Batman mesmo”. Leonel Lucas rejeitou reunião com o secretário da Casa Civil e disse que os servidores da segurança mostrarão a força no dia 7 de julho.

t4

Para o presidente da ASSTBM, Aparício Santellano, é preciso mais respeito com os servidores de carreira. ” o governo troca de quatro em quatro anos. Daí vai embora e deixa o prejuízo pelas mudança provocadas”. Completou dizendo que os servidores também são cidadãos e têm família.

O presidente da ABERGS, Ubirajara Ramos, iniciou cantando parabéns. O motivo; aniversário de um ano da desvinculação do Corpo de Bombeiros da BM – dia 17 de junho. ” E até o momento o governo não encaminhou as leis que estruturam o Corpo de Bombeiros”.

t6

Além dos servidores, autoridades dos três poderes ouviram as inúmeras perguntas feitas por deputados e servidores. No entanto, nenhuma resposta foi ouvida.  Os servidores partem agora para mobilização na rua. Os aprovados nos concursos de 2014 querem saber quando serão chamados. Os servidores desejam a certeza do pagamento dos reajustes até 2018 e não aceitam o PL 206/15, encaminhado pelo governo ao Legislativo Estadual.

Em meio a reunião, chegou a denúncia de que brigadianos em Passo Fundo fizeram perseguição a pé por falta de viatura. No IPF, denúncia de abusos sexuais por falta de servidores para controlar comportamento de presos. Nos postos militares e delegacias do interior a denúncia do fechamento dos serviços à noite, por falta de pessoal. Em tom de desabafo alguém gritou: ” Agora, os criminosos andam de fuzis na mão em pleno dia no RS”.

t5

Devido  a falta do secretário, a deputada Stela Farias sugeriu que ele seja convocado. Foi apoiada por outros parlamentares, que esperam ouvir de Wantuir Jacini qual será o caminho da segurança pública no RS.

Paulo Rogério N. da Silva

Jornalista ABAMF