Soldado Eriston, atingido por pedrada em 2013, visitou ABAMF

176
Eriston, no centro, com colegas do 9ºBPM e diretores da ABAMF
Eriston, no centro, com colegas do 9ºBPM e diretores da ABAMF

O soldado Eriston  Moura dos Santos, ferido com uma pedrada na cabeça durante manifestação contra a copa do mundo em 2013, esteve na ABAMF dia 19 de junho de 2015. O brigadiano encontrou colegas do 9º BPM que o aguardavam na sede da entidade. Passados dois anos do ataque que provocou os graves problemas de saúde no militar, os avanços são lentos. Erison prossegue em constantes sessões de fisioterapia, com fonoadióloga e acompanhamento médico permanente. O tratamento é feito no HBM de Santa Maria, no entanto, a realização de alguns exames exigem a vinda do brigadiano a Porto Alegre.

Quem acompanha Eristou nos deslocamentos de Cachoeira do Sul é a mãe Belquis Santos e o pai, Ari dos Santos. De acordo com Belquis, nas idas a Santa Maria uma ambulância busca o soldado na residência. Elogiou também a atenção da equipe médica e fisioterápica.

Mas, ainda, existem incômodos com relação ao diagnóstico. enquanto um médicos reconhecem que o paralelepípedo jogado contra o brigadiano provocou os danos, outro profissional afirma que o problema está numa doença genética.

Alheio a análise, Eriston esforça-se para melhorar a condição de vida, com o apoio dos pais. Durante a visita a ABAMF ficou comprovado que o jovem mantém a postura de PM. Ao ver colegas levantou o braço, lentamente, para prestar continência.

Paulo Rogério N. da Silva

Jornalista ABAMF