Entidades se reúnem para definir mobilizações contra o governo do RS

138
Cerca de 20 entidades estão representadas por seus presidentes na sede do Cpers Foto: Eduardo Matos  / Rádio Gaúcha
Cerca de 20 entidades estão representadas por seus presidentes na sede do Cpers
Foto: Eduardo Matos / Rádio Gaúcha

Possível parcelamento dos salários é rechaçado pelas categorias

A reunião dos órgãos que representam os servidores públicos estaduais começou por volta das 16h30 desta quarta-feira (29). Cerca de 20 entidades estão representadas por seus presidentes na sede do Cpers, no Centro de Porto Alegre.

O primeiro a falar foi o presidente da Federação Sindical dos Servidores Públicos no Estado (Fessergs), Sérgio Arnoud. A imprensa não pode entrar na sala, no entanto, foi possível ouvir Arnoud dizendo que é preciso elaborar um calendário de mobilização para tentar pressionar o governo a resolver a questão dos salários.

Os servidores também confirmam uma assembleia geral unificada que reuniria cerca de 40 entidades, no Largo Glênio Peres, no dia 18 de agosto. Eles reclamam muito da falta de diálogo com o Governo do Estado. Segundo depoimentos, acabam sabendo pela imprensa da possibilidade de parcelamento dos salários, que deve ocorrer agora no fim do mês, e não pelos representantes do Executivo.

“A insegurança vai aumentar, porque a Polícia vai parar”, disse Fábio Castro, vice-presidente da UGEIRM, que representa agentes da Polícia Civil.

O governo do Estado deve pagar até R$ 2150 na sexta-feira (31). Uma segunda parte no dia 10 ou 11 de agosto, e o restante do salário do mês de julho por volta de 20 ou 25 de agosto. A tendência é que a reunião se estenda por mais uma hora.

GAÚCHA