JORNAL DA MANHÃ: “Precisamos investir em segurança”, diz capitão

129
Gilmar Bischoff, capitão da Brigada Militar e responsável pelo policiamento ostensivo
Gilmar Bischoff, capitão da Brigada Militar e responsável pelo policiamento ostensivo

O Comando-Geral da Brigada Militar vem recebendo uma série de pedidos de passagem à reserva. Segundo o próprio comando repassou, se o ritmo de solicitações persistir, até o final do ano o policiamento ostensivo das cidades estará comprometido, já que só na última semana mais de mil brigadianos já haviam protocolado pedidos. Na região do 29º Batalhão da Polícia Militar a situação não é diferente. O capitão Gilmar Bischoff, que substitui o major Edilson Góes, em férias, lembra que atualmente a maior riqueza da BM são “seus homens e mulheres” e essa riqueza vem escasseando.

“Isso é uma dificuldade, e nossa comunidade deve estar ciente. Precisamos investir em segurança pública. Nossa maior riqueza, hoje, são nossos homens e mulheres, e essa riqueza está diminuindo. Nós precisamos investir em segurança pública”, alerta.

Em 2015 contabilizam-se cerca de 1500 aposentadorias em todo o Estado. O número de aposentadorias, somado às saídas confirmadas para o fim do ano, resultam em uma equação pouco otimista: “Nosso efetivo está envelhecendo. Na década de 90 incluíram-se muitos policiais que atualmente estão completando 25 a 30 anos de serviço e estão indo embora. Temos dois mil homens aprovados em concurso público. Ou seja, quando esses homens forem incluídos, não vão sequer repor o efetivo que saiu”, prospecta o capitão.

Bischoff ainda aponta para  um detalhe, no mínimo, curioso nessa relação dos últimos 20 anos junto à corporação. “Hoje é ao contrário: temos investimentos em viaturas, coletes, equipamentos e demais objetos que não dispúnhamos no passado. Por outro lado, temos essa deficiência de recursos humanos que é o nosso maior tesouro”, acrescenta e ainda finaliza. “Não conseguimos realizar um serviço de qualidade se não tivermos efetivo. Como o governo do Estado vai resolver, eu não sei. Mas precisamos desse pessoal aprovado urgentemente”.

O batalhão local abrange outros sete municípios, além da cidade-sede Ijuí: Augusto Pestana, Coronel Barros, Jóia, Ajuricaba, Nova Ramada, Bozano e Catuípe.

De acordo com a Secretaria de Segurança, a população do Estado requer um efetivo de 33 mil homens. Atualmente, entretanto, a corporação é composta por 17 mil homens.

JORNAL DA MANHÃ