Após semana de protestos, comandante garante que indicadores da BM seguem “firmes e fortes”

164
Comandante-geral (esq) e outros oficiais participaram de homenagem a PM morto neste sábado. Foto: Divulgação/BM
Comandante-geral (esq) e outros oficiais participaram de homenagem a PM morto neste sábado. Foto: Divulgação/BM

Coronel Alfeu Freitas declarou que oficiais são responsáveis por gerir limitações neste momento

Apesar de protestos de policiais militares desde que o parcelamento dos salários foi confirmado pelo governo do Estado, o comandante-geral da Brigada Militar garantiu, neste sábado, que a média de atendimentos e detenções no Rio Grande do Sul não é afetada. O coronel Alfeu Freitas Moreira preferiu não comentar o ataque a uma agência bancária ocorrido ontem dentro da sede da Secretaria de Segurança Pública, em Porto Alegre, mas reforçou que os gestores da corporação estão fazendo todos os esforços para manter a tranquilidade da população.

“Em média, a Brigada Militar atende 4,6 mil ocorrências por dia — são ocorrências, não apenas chamados ao 190. Por dia, a BM prende 360 pessoas no Estado. E esses indicadores continuam firmes e fortes. A BM está fazendo a sua parte no que se refere à sua missão. (…) Limitações com certeza existem, dificuldades também. É daí que o oficial, o gestor, vai ter que empregar melhor seus efetivos, dar uma resposta, interagir mais ainda com a comunidade, pois a comunidade é a principal fonte de informações do brigadiano. O oficial, comandante de qualquer fração da Brigada, é o responsável e vai ter que dar uma resposta às dificuldades. É aí que está a função social da BM em bem trabalhar e atender a sua comunidade, ainda mais em momentos difíceis como o Estado está passando hoje”, declarou.

Já a Associação dos Oficiais da BM informou, nessa semana, que não será possível manter oa mesmos esforços após o parcelamento de salários. O comandante alegou que as restrições não são apenas de agora e lembrou que a Brigada Militar é um dos braços da segurança pública no Estado, que também depende da Polícia Civil. Quanto ao Gre-Nal deste domingo em Porto Alegre, o coronel Alfeu Freitas Moreira prometeu policiamento dentro da rotina de qualquer evento esportivo anterior.

O comandante-geral comentou a situação da segurança no Estado durante evento no final da manhã deste sábado, no Centro da Capital. O alto comando da corporação participou de uma homenagem a um brigadiano morto há 25 anos, durante conflito com manifestantes do Movimento Sem-Terra (MST), na Esquina Democrática. Uma placa para lembrar o cabo Valdeci de Abreu Lopes foi revitalizada no local.

Fonte:Bibiana Borba/Rádio Guaíba