Entidade que representa servidores da Brigada Militar rebate dados de pesquisa do IBGE

186
17548161 De acordo com o Instituto, em 2014, tropa era composta por 20,4 mil policiais militares. Abamf fala que número correto é de 17 mil

A Associação de Cabos e Soldados da Brigada Militar (Abamf) contestou os números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontaram efetivo de 20,4 mil policiais militares no Rio Grande do Sul. O balanço levou em consideração a tropa de 2014. Os números foram divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira.

Surpreso com o levantamento, o presidente da Abamf, Leonel Lucas, ratificou que o efetivo da BM no ano passado era de aproximadamente 17 mil PMs. “Não sei de onde foram tirados estes números porque, no Portal Transparência, consta que a Brigada Militar soma 17 mil homens”, afirmou. Além disso, Lucas reforça que o déficit policial entre 2014 e 2015 é de 18 mil PMs. Já o órgão nacional sustenta que números foram repassados pelo próprio governo, por meio da Casa Civil.

O IBGE ainda informou que o efetivo da Polícia Civil era de 5,5 mil policiais em 2014. Sem discriminar o número de delegados e agentes, a Ugeirm Sindicato, entidade que representa os servidores de parte da corporação, não chega a discordar do balanço divulgado, segundo vice-presidente Fábio Castro. “A gente trabalha com número de entorno de 5,4 mil, o problema é que há muitas aposentadorias”, ressaltou. Conforme Castro, cerca de 20 servidores pedem aposentadoria, mensalmente. Com isso, pode haver ligeira diferença entre os dados apresentados pelo IBGE.

A pesquisa ainda revela que o Estado dispõe de um PM para cada 547 habitantes e um agente para cada 2.015 habitantes. A relação é superior as médias nacionais, de 473 e 1,7 mil, respectivamente. Os resultados gaúchos estão dentro da realidade da região Sul, que registra um dos menores índices de PMs por habitante: um para cada 583 habitantes.