Parcela dos servidores pode ser de R$ 1 mil no Rio Grande do Sul

151
Projeções dentro da Fazenda desagradam sindicatos que prometem grandes paralisações | Foto: Vinicius Roratto/CP Memória
Projeções dentro da Fazenda desagradam sindicatos que prometem grandes paralisações | Foto: Vinicius Roratto/CP Memória

Projeções dentro da Fazenda desagradam sindicatos que prometem grandes paralisações

Apesar de na Secretaria da Fazenda serem ventiladas informações de que o novo parcelamento de salários dos servidores do Rio Grande do Sul previsto para a folha de agosto terá linha de corte na faixa dos R$ 500,00 (menos do que um salário mínimo), nas reuniões internas o valor divulgado é superior. Nos encontros, as projeções feitas pelo governo são de estabelecer uma linha de corte na faixa dos R$ 1 mil.

Mesmo assim, a resposta do funcionalismo deve ser pesada. Os servidores já alertaram que, se o Estado não fizer o pagamento integral, serão pelo menos quatro dias de paralisação, entre o fim de agosto e o início de setembro.

O presidente da Fessergs, Sergio Arnoud, deixa claro que as atividades serão totalmente suspensas caso se confirme que o pagamento seja feito em dia só em valores inferiores a R$ 1 mil. Isso é um desrespeito aos servidores e suas famílias. Achamos inadmissível. O governo do Estado está mantendo essa situação artificialmente, pois até a Justiça já disponibilizou dinheiro dos depósitos judiciais, mas o governo não aceitou, mantendo uma situação de caos no serviço público do Rio Grande do Sul”, apontou.

Correio do Povo e Rádio Guaíba