Policiais podem boicotar operações Verão e Golfinho no RS

126
VERA
Rádio Guaíba

Temor é de que a prestação de serviços nas áreas investigativa e de policiamento ostensivo no litoral seja inviabilizado por falta de custeio

Associações de servidores da Brigada Militar, Polícia Civil e Superintendência dos Serviços Penitenciários do Rio Grande do Sul (Susepe) agendaram entrevista coletiva para as 11h de sexta-feira, na sede da Ugeirm Sindicato. Os sindicalistas devem detalhar estratégias de boicote às operações Verão e Golfinho na temporada 2015/2016.

De acordo com o diretor da Ugeirm Fábio Castro, se o governo hoje parcela salários e não paga diárias, vai continuar adotando a mesma postura durante o verão. O temor é de que a prestação de serviços nas áreas investigativa e de policiamento ostensivo no litoral seja inviabilizado por falta de custeio.

Servidores já alertaram que não vão arcar com as despesas do próprio bolso e que pretendem orientar os colegas a não se oferecerem para o trabalho nas praias a partir de dezembro.

Questionado nessa manhã pela reportagem da Rádio Guaíba sobre o impacto que pode vir a ser gerado pelas paralisações na área da Segurança Pública, o secretário estadual Wantuir Jacini reafirmou confiança nas polícias e na responsabilidade que assumiram com a sociedade. “Quem sai prejudicado é a sociedade e ela não deu motivo para isso. Nem o atual governo, também não deu. O que ele não tem é dinheiro, é diferente”, declarou.

Fonte:Voltaire Porto / Rádio Guaíba