Projeto para chamar PMs inativos avança na Assembleia

179

Intenção é que servidores atuem em funções como o videomonitoramento 

Porto Alegre – A proposta de criação do Corpo Voluntário de Militares Estaduais (CVMI) avança na Assembleia Legislativa. Nesta terça-feira (25), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a tramitação da matéria, que segue agora para análise do seu impacto em outras comissões do parlamento, como a de Finanças.
Apresentado pelo governo do Estado na segunda fase do chamado Ajuste Fiscal Gaúcho, em junho, o projeto de lei visa incentivar que policiais militares aposentados possam voltar à ativa, recebendo para isso uma gratificação especial para atuar em escolas, órgãos públicos e no videomonitoramento. Pela proposta, o CVMI poderá ter, no máximo, 3.038 integrantes.
Sobre uma possível contradição do governo em contratar inativos, mas abrir mão de 2 mil concursados que aguardam chamada, o deputado estadual Jorge Pozzobom (PSDB), da base aliada do Palácio Piratini, rebateu. “Ocorre que neste momento não há verba orçamentária para chamar os concursados. Com os inativos, teremos uma gratificação a ser paga junto com o salário que eles já recebem, e que poderá também ser paga pelos municípios”, assinalou. Para o presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Brigada Militar (Abamf), Leonel Lucas, a proposta não é atrativa. “Vai pagar uma gratificação que não chegará a R$ 1 mil. PMs inativos ganham muito mais atuando em segurança privada e sem a pressão da farda”, garante.
JORNAL VS