Secretário da Segurança: crise no RS prejudicou o planejamento na área

104
Wantuir Jacini falou em entrevista ao Timeline Gaúcha Foto: Divulgação  / Secretaria da Segurança do RS
Wantuir Jacini falou em entrevista ao Timeline Gaúcha
Foto: Divulgação / Secretaria da Segurança do RS

Segundo secretário Wantuir Jacini, a lei criminal não permite reduzir os roubos de veículos no Estado

Em entrevista ao programa Timeline, da Rádio Gaúcha, na manhã desta terça-feira (11), o secretário da Segurança do Estado, Wantuir Jacini, afirmou que a herança econômica atropelou o planejamento feito no início do ano, após os estudos e o planejamento estratégico ser feito pela pasta para reduzir os crimes no Rio Grande do Sul.

Segundo Jacini, os problemas com a redução das diárias e parcelamentos de salários foram brutais com a pasta, o que influenciou na diminuição de crimes. Mesmo assim, de acordo com o secretário, houve redução nos crimes contra a vida e nos furtos. Apenas os roubos tiveram aumento nos índices.

Conforme o estudo feito em janeiro pela Secretaria da Segurança Pública, 85% dos crimes que constam nos indicadores criminais acontecem em 19 cidades. Com base nesses dados, a pasta começou a utilizar a inteligência policial e artificial nestes municípios, o que resultou na queda dos índices criminais, segundo Jacini.

Em relação aos dois assaltos a bancos em Imigrantes e também a um carro-forte em Nova Petrópolis, o secretário afirmou que as policias fizeram diligências e conseguiram prender os criminosos com diversos antecedentes criminais. Segundo Jacini, não foram medidos esforços para chegar até os bandidos que cometeram um dos crimes.

Questionado sobre a segurança no Estado e se a população se sente segura ao sair à rua, o secretário alegou que os criminosos precisam ter respeito pela autoridade policial. “Eu me sinto seguro, sou policial há 42 anos e os bandidos precisam ter respeito”, afirmou.

De acordo com Jacini, as vítimas de homicídios, em torno de 80%, tinham antecedentes criminais, e mais de 60% em decorrência de tráfico de drogas.

“Não temos como agir com diversos policiais nas ruas, precisamos enfrentar a criminalidade com o que temos. Quanto mais utilizarmos a inteligência policial, mais vamos ter sucesso”, afirmou.

Segundo o secretário, os crimes contra a vida (homicídios e latrocínios) foram reduzidos. Já os latrocínios foram reduzidos em 23% em comparação com o mesmo período do ano passado.

GAÚCHA