Secretário de Segurança descarta redução de efetivo da BM durante o verão

130
Wantuir Jacini disse que será traçado um plano em conjunto com as prefeituras para garantir o policiamento | Foto: Samuel Maciel / CP Memória
Wantuir Jacini disse que será traçado um plano em conjunto com as prefeituras para garantir o policiamento | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Wantuir Jacini disse que será traçado um plano em conjunto com as prefeituras para garantir o policiamento

O secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Wantuir Jacini, descartou nesta sexta-feira risco de redução no efetivo da Brigada Militar durante a Operação Verão 2016. O gestor se reuniu com prefeitos da Associação dos Municípios do Litoral Norte, em Osório. Jacini adiantou que um planejamento vai ser traçado em conjunto com as prefeituras para garantir o policiamento durante o veraneio.

O temor de queda no efetivo em até 40% havia sido citado, nesta manhã, pelo prefeito de Palmares do Sul, Paulo Lang. Ele também demonstrou preocupação de que, com a falta de segurança e a facilidade de chegar a Santa Catarina, com a duplicação da ponte de Laguna na BR 101, os veranistas evitem o litoral gaúcho em 2016.

Jacini confirmou que o quadro financeiro do Estado é delicado, mas disse que espera ganhar novo fôlego até dezembro para assegurar o emprego condizente de PMs no Litoral Norte.

“Nós temos uma herança orçamentária financeira que está impactando todos os serviços da segurança pública. Mas creio que até o final do ano toda esta questão estará sendo resolvida. E aí vamos construir um planejamento de acordo com as necessidades do serviço”, ressaltou. A Operação Verão 2016 deve iniciar em dezembro.

O secretário ainda justificou que a área da Segurança é composta, não só de policiamento ostensivo, mas também de elementos como ferramentas de monitoramento e serviços de inteligência. Jacini pretende firmar parcerias com as prefeituras do Litoral para garantir o funcionamento de câmeras e viaturas, por exemplo. Em Osório, porém, há mais de dois anos o Executivo busca amparo do Piratini para colocar em funcionamento o sistema de videomonitoramento, sem sucesso.

Lucas Rivas/Rádio Guaíba