Aquartelamento em todo o RS. É a Operação Dignidade.

163

PMs estão aquartelados no RS. Desde a madrugada esposas, filhos, policiais inativos e diretores das associações brigadianas trancam os portões das unidades da Brigada Militar evitando a saída e viaturas para a realização do policiamento ostensivo. O movimento é uma reação a atitude do governador do RS, José Ivo Sartori, que parcelou o pagamento do salário em quatro vezes, sendo a primeira parcela, paga dia 31 de agosto, de R$ 600,00. o parcelamento é somente para os servidores do Poder Executivo.

Lajeado, sem segurança policial nas ruas
Lajeado, sem segurança policial nas ruas

O aquartelamento irá até a próxima quinta-feira, no entanto, não está descartada a continuidade do movimento, caso o governo não busque uma solução para quitar a folha do funcionalismo.

Na Grande Porto Alegre, nos municípios de Cachoeirinha e Gravataí, viaturas paradas

Militares estão abalados, muitos não receberam o suficiente para quitar aluguel, pensão, escolas dos filhos ou gastos com medicamentos, no caso dos aposentados. A orientação da ABAMF é que os PMs que se acharem sem condições de trabalhar busquem atendimento médico e solicitem a realização somente de trabalho interno.

Mulheres trancaram a saída do portão do Batalhão de Operações Especiais, em Santa Maria
Mulheres trancaram a saída do portão do Batalhão de Operações Especiais, em Santa Maria
Portões da Academia de Polícia Militar foram bloqueados na capital gaúcha

Paulo Rogério N. da Silva

Jornalista ABAMF