BM defende atuação da Força Nacional em presídios gaúchos

161
Brigada atua no Presídio Central de Porto Alegre Foto: Mateus Bruxel  / Agencia RBS
Brigada atua no Presídio Central de Porto Alegre
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Comandante diz que proposta foi apresentada ao governo, mas ainda precisa ser discutida com a Susepe

Contrária à atuação da Força Nacional de Segurança no policiamento ostensivo, a Brigada Militar abriu caminho para que o efetivo externo seja usado nos presídios gaúchos que ainda contam com integrantes da corporação. Segundo o comandante geral da Brigada Militar, coronel Alfeu Freitas, essa é uma possibilidade viável, já foi apresentada ao governo, mas precisa ser discutida com a Susepe.

“É uma hipótese. É uma das missões da Força Nacional. É uma questão de discutir. Presídios não é missão da Brigada Militar e sim da Susepe, por mais que a Brigada esteja em dois presídios, o Central e a Pej”.

Com a retirada dos policiais militares das duas cadeias, o efetivo poderia ser incorporado ao total da Brigada Militar e distribuído no Estado. A corporação está há 20 anos atuando nas cadeias gaúchas. No pedido original, ideia era manter os brigadianos no controle dos presos por apenas seis meses.

GAÚCHA