Criminosos fazem escudo humano após assaltar dois bancos em Maximiliano de Almeida

239

17623417Seis reféns foram levados na fuga, mas liberados logo depois

Uma quadrilha assaltou, ao mesmo tempo, dois bancos no centro deMaximiliano de Almeida, no norte do Estado, na tarde desta quarta-feira. Segundo a Brigada Militar, as agências do Banrisul e do Banco Brasil, separadas por cerca de 40 metros na Avenida Bonifácio, foram assaltadas pouco antes do fechamento, às 15h.

No mínimo seis homens, que estavam fortemente armados com escopetas e fuzis, participaram dos ataques. Na saída, eles usaram clientes e moradores para montar um escudo humano. Seis pessoas, entre funcionários e clientes, foram levadas como reféns, mas foram liberadas no interior do município e retornaram de ônibus. Não há informações sobre feridos. Houve troca de tiros com policiais militares no momento da fuga.

— Por pouco que eu estou vivo. Me joguei da viatura pouco antes de atirarem com fuzil na nossa direção — contou o comandante da BM local, sargento Izair Becegato.

Uma Hilux branca roubada pela manhã em Ipê foi utilizada para chegar aos bancos. O dono da caminhonete foi levado como refém até Maximiliano de Almeida, onde foi liberado pouco antes dos assaltos. Pertences dele, como celular e carteira, também foram roubados.  A caminhonete foi abandonada a cerca de 20 quilômetros, próximo dos reféns, já na cidade vizinha de Paim Filho.

Um Astra, com placas de Gramado, foi roubado pelos criminosos para continuar a fuga. Há suspeita de que pelo menos mais um veículo foi utilizado pelo bando. A quadrilha também teria usado miguelitos para prejudicar a perseguição e conseguiu furar um bloqueio policial.

Segundo a BM, três PMs realizam a segurança do município, que tem quase 5 mil habitantes. Batalhões de cidades da região, como Erechim, Paim Filho, Machadinho, Viaduto e Gaurama, reforçam as buscas à quadrilha.

ZERO HORA