Entidades vão divulgar resultado da votação nas cidades dos deputados

130
Servidores não puderam acompanhar votação de projetos na Assembleia gaúcha Foto: Eduardo Matos  / Gaúcha
Servidores não puderam acompanhar votação de projetos na Assembleia gaúcha
Foto: Eduardo Matos / Gaúcha

Servidores e sindicalistas também vão reforçar que não puderam entrar na Assembleia

O Movimento Unificado, que reúne 44 entidades que representam servidores públicos, programou manifestações nas bases eleitorais dos 35 deputados que votaram a favor da reforma da previdência. A primeira cidade visitada será Uruguaiana, base eleitoral do deputado Frederico Antunes (PP).

O ato será na sexta-feira (18). Conforme a presidente do Cpers, Helenir Schürer, o objetivo será divulgar a posição dos parlamentares.

“Nós vamos mostrar quem são os deputados que votam contra o povo. Aqueles que nas suas bases são uma coisa e na Assembleia são outra”, ressaltou Helenir.

A vigília em frente à Assembleia seguirá pelo menos até o dia 22, data em que devem ser votados os demais projetos do ajuste fiscal. A aprovação do projeto que cria uma previdência complementar para os futuros servidores não causou surpresa, mas reforçou a indignação.

“Nós já sabíamos que os deputados aprovariam esse penetro, mas lamentamos. Por que usar regime de urgência nesse projeto que, na prática, nem vale para agora? Isso tem que ser melhor discutido”, afirmou Isaac Ortiz, presidente da Ugeirm, que representa os policiais civis.

O presidente da Federação Sindical dos Servidores do Rio Grande do Sul (Fessergs), Sérgio Arnoud, lamentou o fato da sessão ter sido fechada.

“É um absurdo fechar sessão para decidir temas tão importantes como esses”, disse.

GAÚCHA