Operação Dignidade é estendida até o dia 11 de setembro

167

DSC_0112Reunidos na tarde de segunda-feira (7/9), os dirigentes de entidades ligadas ao setor da segurança pública do RS decidiram permanecer paralisados até o dia 11 de setembro, quando está previsto o pagamento da segunda parcela do salário. Os militares estaduais, com isso, seguem na “Operação Dignidade”, a conhecida Operação Padrão.

Uma das situações mais preocupantes é o estado psicológico da tropa. Segundo o presidente da ABAMF, Leonel Lucas, “as dificuldades financeiras somadas ao constrangimento de ver esposas e filhos protestando pelo pagamento do salário deixa os policiais e bombeiros militares, sensíveis, nervosos e abalados”.

Em várias partes do RS não houve participação da BM no desfile cívico. Na capital gaúcha, familiares de brigadianos protestaram. Em Santa Maria policiais militares choraram ao ver familiares tentando impedir que militares desfilassem. Em Passo Fundo, militares e servidores públicos impediram que viaturas participassem do desfile da Pátria.

A orientação da ABAMF é para que os brigadianos que estiverem sem condições psicológicas de atender a população procure atendimento médico. Já o material particular dos militares não deve ser usado em serviço, uma vez que é obrigação do Estado dar as condições para a prestação de serviço à população gaúcha.

A ABAMF, ASSIM COMO TODOS OS BRIGADIANOS DESCULPAM-SE COM OS GAÚCHOS, MAS ESTAMOS  LUTANDO PARA RECEBER NOSSOS SALÁRIOS.

Paulo Rogério N. da Silva

Jornalista ABAMF