Posto da Vila Cruzeiro reabre nesta segunda-feira

127
Postão da Cruzeiro reabre nesta segunda com segurança da Guarda Municipal | Foto: Samuel Maciel
Postão da Cruzeiro reabre nesta segunda com segurança da Guarda Municipal | Foto: Samuel Maciel

Guarda Municipal irá garantir a segurança do estabelecimento

Nova reunião deve ocorrer entre o prefeito José Fortunati e o governador José Ivo Sartori

O Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul, na Vila Cruzeiro, abre nesta segunda-feira às 7h com o apoio da Guarda Municipal. A retomada do serviço foi decidida durante reunião de mais de três horas entre moradores, servidores do posto e autoridades municipais neste domingo. Estavam presentes o secretário de Saúde da Capital, Fernando Ritter, entidades representativas dos profissionais e a comunidade dos bairros Cristal, Cruzeiro e Glória.

Nesta segunda-feira, o prefeito José Fortunati se reúne com o governador José Ivo Sartori e, posteriormente, com o secretário Estadual de Segurança, Waltuir Jacini, para tratar sobre o assunto e reivindicar soluções para o problema de segurança. Durante o encontro deste domingo, representantes estaduais não estiveram presentes e foram criticados pelos presentes. “O Estado está se omitindo, não estando presente. A situação é de responsabilidade do município e do Estado”, acredita a orientadora social, Dina de Almeida. “Infelizmente faltou a presença da Brigada Militar”, lamentou Ritter.

O receio com a falta de segurança no Postão da Cruzeiro ocorre desde a sexta-feira, quando oito pessoas foram baleadas após um tiroteio entre facções e os funcionários foram pressionados a atender rapidamente os feridos. Na mesma noite, um ônibus foi incendiado nas proximidades da unidade de saúde.

O Sindicato Médico do RS (Simers) realizou uma reunião simultânea na sede da entidade e optou por ingressar com uma liminar na Justiça pedindo a não abertura do local. “Temos bem claro que nada mudou desde sexta-feira, mantendo a situação de risco para os funcionários e para os pacientes. Sugerimos que o atendimento seja transferido ao Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas, que há espaços vagos pela falta de profissionais”, disse a vice-presidente da entidade, Maria Rita de Assis Brasil. “É uma irresponsabilidade da prefeitura retomar o atendimento antes de que medidas efetivas sejam tomadas”, complementa.

A expectativa do secretário de Saúde é de que a entidade reavaliasse sua posição e que os médicos compareçam hoje no horário de plantão. “Era importante a presença do Simers nesse espaço que é feito por trabalhadores, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistentes sociais, dentistas, todas as classes profissionais. Foi uma discussão de alto nível, onde se primou pela assistência à saúde dessa população”, disse.

Para a moradora do Cristal, Rosaura Duarte, havia a necessidade do fechamento durante o final de semana, mas defende que outras medidas sejam tomadas. “O posto faz o que pode, mas é necessário garantir a segurança, pois não é a primeira vez que ocorre uma situação como essa”, defendeu.

O comandante da Guarda Municipal, Luiz Pithan, informou que o efetivo será determinado a partir da necessidade. De início o grupamento especial, com aproximadamente 15 homens, será direcionado ao local. “Nosso papel é dar segurança para que os servidores trabalhem. O que está acontecendo aqui é reflexo do que ocorre na rua, a sensação de insegurança pelo o que tem ocorrido fora”, disse.

CORREIO DO POVO