Insegurança faz índice de consumo das famílias cair no RS, dizem entidades

114
17631423
IMAGEM ILUSTRATIVA

Campanha lançada hoje por entidades do comércio visa reverter dados negativos no consumo verificados no Estado

Entidades do comércio divulgaram dados nesta quinta-feira (1º) para mostrar como a sensação de insegurança no Rio Grande do Sul tem impactado as vendas. A intenção de consumo das famílias no Rio Grande do Sul, divulgada pela Fecomércio, caiu 42,14% em setembro de 2015 comparado com mesmo mês do ano passado.

Além disso, o índice de consumo das famílias gaúchas calculado pela CDL Porto Alegre , que mede o nível de consumo com base na tríade renda, crédito e confiança, despencou 8,69% em 12 meses.

Conforme a CDL, os números são resultado da insegurança, que fez com que as pessoas deixassem de sair nas ruas e, consequentemente, de investirem. O presidente da entidade, Gustavo Schifino, afirmou que outros indicadores, que poderiam impactar no desempenho negativo, como taxa de emprego e renda não caiu significativamente para que justificasse o número.

As duas entidades, somadas à Associação Gaúcha para o Desenvolvimento do Varejo (AGV), o Sindilojas Porto Alegre, a Federasul, o Sindicato da Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre (Sindha) e Região e a Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e TV (Agert), lançaram nesta manhã a campanha “Reage RS: não de voz e vez ao medo”, que tem como objetivo tranquilizar a população para as questão relacionadas à segurança e incentivar o consumo.

A campanha vai ser dividida em duas fases. Em outubro serão feitas ações nas redes sociais para desmentir alguns boatos referentes a arrastões e assaltos, por exemplo. Já em novembro a ação vai se voltar para o Natal.

GAÚCHA