Piratini define prioridades para decidir sobre parcelamento de salários

182
Foto: Palácio Piratini/Divulgação  Sartori ainda pode optar por parcelar os salários do funcionalismo
Foto: Palácio Piratini/Divulgação
Sartori ainda pode optar por parcelar os salários do funcionalismo

Parcela da dívida com a União deve ser parcela pelo quarto mês consecutivo

A Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) deve definir hoje quais pagamentos emergenciais serão realizados. E contas acumuladas é o que não falta. No transporte escolar, o atraso é de dois meses e totaliza R$ 20 milhões. Na autonomia das escolas, também com dois meses de atraso, são mais R$ 21 milhões. No programa RS Mais Igual, para famílias de baixa renda, a soma é de R$ 8 milhões, também referente aos meses de agosto e setembro. Crucial aos hospitais e municípios, o custeio da saúde de setembro está aberto em R$ 133 milhões. Há ainda outras despesas menores, como a alimentação de detentos do sistema prisional e internos da Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase).
A partir das prioridades elencadas nesta sexta-feira, o governo projeta para a terça-feira a decisão se parcela ou não os salários de outubro do funcionalismo público, que somam R$ 950 milhões e serão pagos na quinta. A dívida com a União deve ser pedalada pelo quarto mês consecutivo.
De acordo com a Sefaz, nesta quinta-feira era aguardada a entrada de mais ou menos R$ 250 milhões do ICMS da indústria. Para a segunda e terça próximas, quantia similar virá dos impostos de empresas cadastradas junto ao Simples Nacional. Ainda na terça-feira, o caixa gaúcho recebe a segunda parcela do ICMS da energia, telecomunicações e combustíveis, também em torno de R$ 270 milhões, mas com 25% desse recursos indo direto para os cofres dos municípios.
JORNAL NH