Região Central: com defasagem, 2 PM’s fazem policiamento em até 4 cidades

147
Foto: Jean Pimentel  / Agencia RBS
Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS

Déficit nos efetivos em alguns municípios chega a até 60%

Com os efetivos da Brigada Militar (BM) na Região Central defasados, chega ao ponto de dois policiais ficarem responsáveis pelo policiamento de até quatro municípios. É a situação da maioria dos municípios da Quarta Colônia.

Dois policiais, em uma viatura, dão conta, por exemplo, dos municípios de IvoráNova PalmaFaxinal do Soturno e São João do Polêsine. Na quarta-feira (18), um policial de Faxinal do Soturno e um de São João do Polêsine faziam policiamento em uma viatura em todos os municípios. Situações semelhantes aconteceram em Agudo e Restinga Seca, onde na noite de quarta-feira (18) houve dois assaltos a postos de combustível.

O Comandante Regional de Polícia Ostensiva (CRPO) na Região Central, coronel Worney Dellani Mendonça, confirma a situação e explica qual é a medida colocada em prática em função do problema.

“A nossa opção aqui, de gestão, do comando regional, foi estabelecer as Patrulhas Intermunicipais como uma alternativa para realizar o policiamento nesses municípios”.

Ele não informa quais municípios trabalham dentro desse sistema, pois o comando se reúne diariamente para escalar os policiais.

Apesar disso, de acordo com o coronel, a defasagem, em média, nos 29 municípios da Região Central, é de 37%. No fim do primeiro semestre deste ano, era de 30%. Em municípios da Quarta Colônia, chega a 60%. Questionado quanto à possibilidade de vinda de mais policiais para o Centro do Estado, o coronel afirma que não há sinalização de isso acontecer.

“Não existe a previsão, pelo que se sabe, de chamada de novos policiais”, afirma. “As transferências para a região de Santa Maria são difíceis, porque o problema de déficit existe em todo o Estado”.

Estatística
Entre julho e setembro de 2015, foram 106 casos de assaltos ao comércio em Santa Maria. Ano passado, foram 51. É um assalto por dia e um aumento de mais que o dobro de um ano para outro. Em outubro, foram 26. O número de assaltos a pedestre também aumentou: 25,8%. Foram 302 casos contra 240. São três casos por dia.

Foram 20 casos de roubos a estabelecimentos comerciais em julho de 2014. Em 2015, foram 25. Em agosto, o aumento é alto: de 8 em 2014 para 21 em 2015. Já em setembro, o aumento é elevado, porém menor que durante o mês em que houve as paralisações: de 23 para 63.

A situação relativa aos assaltos a pedestre é semelhante. Foram 83 casos em julho de 2014 e no mesmo mês, mas neste ano, foram 90. A curva sobe em agosto: 91 casos em 2014 e 111 em 2015. Há alta também em setembro: 66 casos ano passado e 105 este ano.

Ataques ao interior
Desde setembro de 2015, foram pelo menos oito casos de ataques a residências do interior de Dilermando de AguiarFaxinal do SoturnoCacequiNova Palma e Santa Maria. Criminosos renderam, amarraram e agrediram famílias dentro de suas próprias casas. Os casos levaram a polícia a intensificar ações no interior.

GAÚCHA SM