ZERO HORA: Juro do 13º dos servidores supera aplicações financeiras

122

thumbCálculo indica que os 25% oferecidos representam mais do que o dobro da renda fixa

O adicional de 25% que o governo do Estado pagará no parcelamento do 13º salário para servidores supera com folga o rendimento oferecido pela renda fixa, tipo de aplicação na qual há rentabilidade no resgate. O valor ajustado servirá para pagar juros e encargos a servidores que optarem por fazer um empréstimo a partir de amanhã. Entretanto, quem deixar para receber o benefício mais adiante terá uma “poupança-forçada” atraente.

– Quem não precisa do dinheiro agora, é melhor não tomar o empréstimo e deixar para receber parcelado no próximo ano, com essa correção – sugere o consultor financeiro Adriano Severo. 

Empréstimo pode ser bom para IPVA E IPTU 

O cálculo é que, se o servidor investir seu 13º nas melhores opções da renda fixa já nesta semana para sacar em novembro de 2016, terá lucro abaixo de 12%, menos da metade da compensação oferecida pelo governo (veja simulações no quadro). Por outro lado, se a tomada de empréstimo servir para antecipar pagamentos dos impostos de início do ano com desconto, como IPVA e IPTU, ou para antecipar o pagamento de dívidas abatendo juros, essa escolha fica mais atraente, avalia Severo.

O adicional do governo cobrirá o juro do empréstimo do Banrisul, de quase 1,7% ao mês. Mas é preciso recorrer à calculadora para saber se vale a pena obter crédito em outros bancos, já que o governo do Estado não deixou claro se haverá alguma linha específica nestas instituições — a reportagem tentou contato com a Secretaria da Fazenda, mas não obteve retorno. Hoje, o juro do crédito consignado (com desconto em folha) varia de 1,69% a 6,35% ao mês. 

Rendimento médio durante 11 meses para aplicações em:
Poupança: 7,98%
Fundos de renda fixa: 9,06%
CDB: 9,63%
Tesouro Direto: 11,6%
LCI/LCA: 12,03%
Adicional do governo no parcelamento do 13º: 25%

ZERO HORA