Comando confirma fechamento de postos da Brigada Militar e alega necessidade de “policiais na rua”

189

9756804Subcomandante-geral da BM negou que medida foi tomada por falta de efetivo

Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, na manhã desta quinta-feira, o subcomandante-geral da Brigada Militar, coronel Andrei Sílvio Dallago, confirmou o fechamento de postos da corporação em Porto Alegre. Ele alegou questões estratégicas para colocar mais PMs nas ruas. As informações são daRádio Gaúcha.

Dallago negou que a medida tenha sido tomada por causa da falta de efetivo ou ainda pela estrutura precária de alguns imóveis. Desde o início desta semana, moradores estão reclamando da medida. Na quarta-feira, dois postos foram fechados na zona sul da Capital.

O presidente da Associação de Praças da BM (Abamf), Leonel Lucas, é contrário à decisão e diz que isso está ocorrendo em vários pontos da cidade e do Estado. A entidade está fazendo um levantamento, mas destaca que já teve posto fechado também na zona leste da Capital.

— Estão fechando porque falta efetivo e tem locais com estrutura precária. Não vai adiantar tirar do posto e botar na rua. Se o posto foi colocado em um ponto estratégico, é porque lá tinha muitos crimes. Se agora não tem, para mim, é porque a presença do posto está coibindo — diz Lucas.

O coronel Dallago admite o fechamento, mas destaca que outras medidas são adotadas para realizar o policiamento em época de crise e pouco efetivo. Uma delas é a colocação de postos móveis comunitários e as ações de policiamento ostensivo que fazem parte do Programa Avante. Entre a noite passada e a madrugada desta quinta-feira, a BM realizou prisões em Porto Alegre, em áreas afetadas pelo tráfico de drogas. Em outra ocasião, combateu o roubo e furto de veículos.

Dallago salienta que o fechamento não é definitivo e as medidas voltarão a ser discutidas com a comunidade. Sobre um levantamento de postos desativados na Capital, o comando informou que deve divulgar uma nota nas próximas horas.


ZERO HORA