Guardas Municipais do Estado se unem para criar estratégias de segurança

140
Foto: Misael Lima/GES-Especial  Representantes de nove Guardas Municipais se reúnem para alinhar estratégias de segurança pública
Foto: Misael Lima/GES-Especial
Representantes de nove Guardas Municipais se reúnem para alinhar estratégias de segurança pública

Encontro em Novo Hamburgo resulta em proposta para melhorar o policiamento

Para melhorar o atendimento à comunidade, Guardas Municipais do Estado desenvolveram três estratégias de segurança. Eles pedem a autonomia do efetivo para recolher veículos em furto, atender em acidentes com feridos e ter acesso as informações da Brigada Militar.  O objetivo é agilizar o policiamento nos municípios.
As estratégias foram definidas em reunião nesta quinta-feira (18), que ocorreu em Novo Hamburgo. Representantes de Guardas Municipais de nove municípios participaram, discutindo ações conjuntas e trocando informações. O documento com as propostas será apresentado em uma reunião com o secretário de Segurança Pública do Estado, Wantuir Jacini, agendada para a semana que vem.
O encontro foi liderado pelo presidente da Associação de Secretários e Gestores Municipais de Segurança Pública do Estado (ASGMUSP), Mauro Moro, que entende que a segurança já é municipalizada e que a crise de segurança pública deve ser combatida com união. “Se hoje vivemos uma crise na segurança, ela precisa ser dominada. E isso só será possível com ações de integração e serviços das guardas e secretarias, e contando com o apoio da comunidade. Esse encontro tem o objetivo de trazer essa integração e desenvolver um serviço com mais qualidade e eficiência”, enfatizou.
A Secretaria Estadual de Segurança Pública informou, através da assessoria de imprensa, que não se manifestará até receber a proposta.
Propostas
Consulta integrada
A possibilidade de buscar informações com agilidade é a primeira proposta que deve ser apresentada pela Associação ao secretário de Segurança Pública do Estado. O objetivo é facilitar o acesso dos guardas às informações disponibilizadas pela Brigada Militar e Polícia Civil, podendo assim agir com segurança na abordagem de indivíduos. Um dos grandes problemas relatados pelos representantes das Guardas durante o encontro é que as relações com outros órgãos de Segurança Pública nem sempre permitem a consulta de informações e levantamentos.
“Fazemos hoje em torno de 200 abordagens veiculares diárias. Se conseguirmos a autorização da Secretaria para liberar o acesso a essas consultas, poderemos consultar a ficha do suspeito que está sendo abordado, por exemplo, em frente a uma escola e verificar se ele tem algum antecedente ou, até, se é um foragido da Justiça, para efetuar a prisão se necessário”, destaca o comandante da Guarda de Novo Hamburgo, Marcos dos Santos.
Recolhimento de veículo em furto
Outro ponto que deve ser apresentado ao secretário Wantuir Jacini é a possibilidade de recolhimento de veículos que constatados como em furto ou crime pelas Guardas Municipais, mas sem a necessidade de contatar a Brigada Militar. Atualmente, segundo o comandante da Guarda hamburguense, após a abordagem do veículo pela corporação e constatação do crime, é necessário fazer o contato com Brigada Militar e solicitar o envio de uma guarnição que só então vai chamar um guincho para recolher o veículo.
“O processo todo é uma burocratização do trabalho. Antigamente era permitido que fizéssemos esse processo, mas uma resolução estadual mudou a legislação. Este fato acaba somando mais trabalho para a BM porque a Guarda já está atendendo a ocorrência, já encontrou o veículo e ainda vai chamar a Brigada para ir ao local. Ou seja, estamos tendo um retrabalho que poderia ser otimizado se pudéssemos fazer esse recolhimento”, diz Santos.
Atendimentos em acidentes com feridos
O terceiro ponto a ser apresentado é a possibilidade de poder fazer os atendimentos em casos de acidentes de trânsito que resultem em lesões corporais. Da mesma forma como os carros furtados demandam que a Brigada Militar seja chamada, esse tipo de atendimento também é destacado pelas Guardas como um processo lento que acaba ocupando oficiais em organização do trânsito por longos períodos de tempo e ocupando brigadianos.
 “O policial deixa de fazer o policiamento para atender a essas ocorrências. O Estado vai poupar horas de serviço e aumentar a segurança com esses três pré-requisitos. Vamos poder oferecer um reforço muito mais importante para a segurança pública do Rio Grande do Sul. Estamos nos pré-dispondo a fazer esse trabalho para que desonere a Polícia Militar que vai poder se focar em ocorrências mais importantes e combater a criminalidade que está se tornando cada vez maior. E nós vamos estar nos colocando de forma capacitada à disposição da comunidade”, afirma o comandante da Guarda hamburguense.

“Estamos abrindo mão de nossas vaidades”
Além de Novo Hamburgo, outras nove Guardas Municipais atenderam à reunião: Torres, São Leopoldo, Porto Alegre, Cachoeirinha, Alvorada, Pelotas, Canoas, Sapucaia e Vacaria. O secretário de Segurança e Mobilidade Urbana de Novo Hamburgo, Egon Kirchheim destaca que a integração entre as corporações já tem trazido resultados positivos para o Município.
“Essa integração nos permite ser mais efetivos, principalmente atuando em conjunto com as Guardas de municípios limítrofes, como São Leopoldo e Estância Velha. E com essa reunião, podemos construir uma rede de informações a nível estadual, contando com a Associação das Secretarias de Segurança Pública para esse respaldo. Eliminamos o estrelismo, estamos abrindo mão das nossas vaidades e quem vai ganhar é a comunidade. O crime já é organizado e precisamos nos organizar também”, diz Kirchheim.
“Se as propostas forem aprovadas, ganhamos o ano”
O comandante da Guarda de Novo Hamburgo, Marcos dos Santos destaca que a iniciativa de Novo Hamburgo já teve resultados positivos nas ações conjuntas. “Construindo esse processo estamos na vanguarda de mais uma iniciativa para construir com as Guardas limítrofes uma parceria que já resultou em operações conjuntas e que contaram também com a participação da Brigada Militar”, afirma o comandante. Para Moro, a apresentação das propostas das Guardas para o governo do Estado, pode trazer aos municípios um avanço esperado há anos. “Sabemos que, mesmo sendo mudanças que vão beneficiar muito a comunidade, vamos enfrentar resistências. Mas tendo o apoio popular, essa medida pode impactar significativamente a segurança pública no Estado. Se as propostas forem aprovadas, ganhamos o ano”, comenta.
JORNAL NH