Estado convoca policiais e bombeiros para suprir saída de temporários

136
PMs são chamados no Diário Oficial do Estado. Foto: Arquivo
PMs são chamados no Diário Oficial do Estado. Foto: Arquivo

Novos servidores estarão aptos ao trabalho entre o final de 2016 e início de 2017

O Governo do Estado convocou nesta segunda-feira, através de publicação no Diário Oficial, 178 servidores para atuar no policiamento ostensivo e no Corpo de Bombeiros, com o objetivo de suprir os servidores temporários que deixaram seus postos no mês passado. Dos novos convocados, 139 atuarão como policiais militares, sendo os outros 39 bombeiros. O Diário Oficial ainda convoca 43 suplentes.

Apesar da convocação, os novos servidores só devem ingressar no trabalho entre o final de 2016 e o início de 2017. Isso porque, após o período de exames médicos e toxicológicos, que vence em maio, os convocados e aprovados seguem para o curso de formação que dura cerca de seis meses.

Ainda na última semana, o presidente da associação que representa cabos e soldados sustentou que a convocação é insuficiente. Leonel Lucas salienta que a quantidade de PMs que se desligou, somente em 2016, é maior que o número de policiais que vai ser chamado. “Desde o começo do ano, até agora, são 332 brigadianos que ingressaram na reserva. Esse grupo, portanto, não vai sequer suprir o déficit do momento e não implica em aumento da segurança”, ponderou.

Outro receio do dirigente é com relação à função dos futuros policiais, já que eles vão repor um montante locado internamente em presídios e também na realização de serviços administrativos, como atender telefones e recepções. “A grande pergunta é sobre as atividades desses aprovados e o verdadeiro aproveitamento deles. Aqueles que serão chamados atenderão os mesmos serviços administrativos ou vão colaborar no policiamento ostensivo? Se ficar como estava, com os temporários, não há qualquer sinal de melhora para a segurança nas ruas”, questionou.

No Comando da Brigada Militar, a informação é de que as atividades desempenhadas não sejam as mesmas, ainda que se trate de um processo de reposição. A leitura é de que, dessa vez, os nomeados serão servidores de carreira e receberão treinamento na academia para atuarem no policiamento ostensivo.

O quadro atual é composto de 21.269 policiais militares – homens/mulheres. Com 1.892 PMs atuando em áreas administrativas, o policiamento ostensivo fica a cargo de 19.377 policiais militares, segundo dados obtidos pela reportagem da Rádio Guaíba via Lei de Acesso à Informação (LAI). Nos últimos dez anos, o maior efetivo da BM foi registrado em 2012 – com 24.144 PMs.

O agravamento da crise foi constatado em 2015, quando o quadro foi reduzido para 21.461 policiais militares. Além disso, só em 2015, 1.794 servidores foram transferidos para a reserva remunerada. A própria corporação admite que o número ideal é de pelo menos 37.050 PMs.

Fonte:Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

CONFIRA AQUI

doe20160328_029

doe20160328_030

doe20160328_031