Quartel de bombeiros de Caxias reabre com recursos para horas extras

143
Unidade voltou a abrir depois de mais de 30 dias fechada Foto: Roni Rigon
Unidade voltou a abrir depois de mais de 30 dias fechada
Foto: Roni Rigon

Unidade da Zona Norte estava fechada desde o fim de fevereiro

O quartel dos bombeiros da Zona Norte de Caxias do Sul reabriu nesta semana. A unidade estava fechada desde o final de janeiro devido à falta de efetivo, agravada pelo remanejamento de bombeiros para a Operação Golfinho e pelo atingimento do limite de horas extras. Com a reapresentação da tropa e a virada do mês, que voltou a permitir o pagamento de horas extras, foram reabertos os quartéis do Desvio Rizzo e do bairro Cruzeiro, que fecharam nos últimos dias de fevereiro. Nesta semana, foi possível reabrir também o quartel da Zona Norte. No entanto, conforme o titular do 5º Comando Regional de Bombeiros, o tenente-coronel Cleber Valinodo Pereira, a continuidade do serviço até o fim de março vai depender da suplementação de horas extras para além do limite previsto.

Caxias do Sul tem, ao todo, cinco unidades: além das que chegaram a fechar as portas e reabriram – Desvio Rizzo, Cruzeiro e Zona Norte – há também a unidade central e a do Aeroporto. Nessas duas últimas, o atendimento não teve interrupção, com cinco bombeiros de serviço no centro e quatro no aeroporto.

Nas demais unidades, são dois bombeiros de plantão para cada 24 horas. O regime pode ser de 24 horas de plantão para 48 de folga ou 72 horas de folga, o que depende do efetivo, que hoje é baixo, e da disponibilidade de recursos para horas extras. O efetivo é reduzido não só pelo congelamento de nomeações de aprovados em concursos, como também pelos pedidos de aposentadoria. Só no ano passado, 12% do efetivo deixou as atividades na região, a maioria para a reserva.

Caminhão dos bombeiros

Com relação a um caminhão envolvido em acidente durante atendimento a uma ocorrência no final de janeiro, o veículo ainda está parado. O tenente-coronel explica que está sendo aguardada a conclusão dos inquéritos técnicos, tanto para o caminhão quanto para um carro dos bombeiros que também foi atingido. Além disso, é aguardada a renovação de um convênio com a prefeitura, o Funrebom (Fundo de Reaparelhamento do Corpo de Bombeiros), para viabilizar os consertos. A expectativa do comandante é de que isso ocorra ainda neste mês.

GAÚCHA SERRA