Sem perspectiva para o fim dos atrasos

289

piratini O secretário da Fazenda, Giovani Feltes, confirmou ontem o que já era esperado. Mais uma vez, a folha do funcionalismo será parcelada. Os servidores receberão hoje R$ 2 mil e a previsão é de que o pagamento seja concluído apenas no dia 13 de maio. Esta é quinta vez que ocorre atraso nos depósitos. Foram duas no ano passado e três neste ano, sem contabilizar 0 13ª salário, em que os servidores tiveram de optar entre a retirada de empréstimo pessoal ou o recebimento em seis parcelas, que começarão a ser pagas pelo Executivo em junho deste ano. O parcelamento neste mês ocorreu, segundo Feltes, devido a fraca arrecadação com IPVA, que ficou abaixo do esperado. O delicado cenário financeiro não foi minimizado nem mesmo com a decisão do Supremo Tribunal Federal, que em sessão na quarta-feira avalizou a manutenção das liminares que proíbem sanções da União mesmo que não se concretize o pagamento da parcela mensal da dívida, que neste mês é de R$ 272 milhões. O argumento do governo é o de que as parcelas já vêm sendo pagas em atraso, por meio de bloqueio das contas do Tesouro, e que, portanto, o valor não pode ser considerado como recurso extra em caixa. Por ora, não há perspectiva da Fazenda sobre o pagamento em dia da folha do funcionalismo e os parcelamentos devem se repetir nos próximos meses. O cenário poderá ficar ainda pior no caso de derrubada da liminar obtida pelo Rio Grande do Sul no Supremo, se acordo sobre o tema não ocorrer no prazo de 60 dias estabelecido pela Corte.

CORREIO DO POVO