Servidores da Segurança repetem que Sartori pode ser preso por estar parcelando salários

128

Por Caroline Ferraz/Sul21Categoria recorre à Justiça, na próxima terça, para que sejam bloqueados valores suficientes para pagar PMs, bombeiros, policiais civis, peritos e agentes da Susepe

Lideranças sindicais de entidades de servidores da Segurança Pública voltaram hoje a alertar que o governador José Ivo Sartori corre risco de ser preso por não estar respeitando decisões judiciais que ordenaram o pagamento integral de salários, pelo menos, para trabalhadores do setor.

O presidente da Amapergs, sindicato que representa os agentes da Susepe, Flávio Berneira, pondera que os servidores não querem que isso ocorra, mas exigem receber os salários em dia. De acordo com o sindicalista, o chamado ‘bloco da Segurança Pública’ vai voltar a recorrer a Justiça.

“Nós novamente temos que vir a público esclarecer que existem decisões da Justiça determinando o pagamento integral dos salários dos servidores da Segurança Pública e que o descumprimento dessa medida prevê a prisão do governador. Entretanto, na próxima terça-feira, vamos protestar e voltar a recorrer a Justiça. Desta vez, nosso pedido vai ser pelo bloqueio dos valores correspondente à nossa folha”, adiantou.

Os trabalhadores também anunciaram um protesto para a próxima terça. O pedido na Justiça é para que sejam depositados os salários integrais de brigadianos, bombeiros, policiais civis, agentes da Susepe e técnicos do Instituto Geral de Perícias.

Hoje, foi paga a primeira parcela dos salários dos servidores do Executivo, no valor de R$ 2 mil. É a terceira vez consecutiva que ocorre o pagamento parcelado do funcionalismo no governo Sartori.

O secretário da Fazenda, Giovani Feltes, já alertou que decisões judiciais não podem ser cumpridas se não existir verba suficiente para isso.

Fonte:Voltaire Porto/Rádio Guaíba