Empresário e mecânico se unem para consertar viaturas da Brigada

204
Foto: Juarez Machado/GES  Mecânico e engenheiro elétrico, Daniel Webber, se empenha no conserto de viatura da BM de Sapiranga
Foto: Juarez Machado/GES
Mecânico e engenheiro elétrico, Daniel Webber, se empenha no conserto de viatura da BM de Sapiranga

”Pensei em uma forma de ajudar”, conta Marcio Hartz que montou a iniciativa com Daniel Webber

As viaturas do policiamento ostensivo de Sapiranga estão passando por uma revisão automotiva para que possam atender a comunidade de forma mais efetiva. Mas desta vez os recursos não estão saindo dos cofres públicos. O investimento destinado aos veículos da segurança do Estado estão sendo bancados pela iniciativa privada. Mais precisamente pelo empresário Marcio Hartz e o mecânico e engenheiro elétrico, Daniel Webber. “Eu e o comandante da Brigada Militar somos amigos e em uma conversa ele me contou das dificuldades para a manutenção das viaturas. Então pensei em uma forma de ajudar”, conta Marcio.
O Daniel recebe os carros em sua oficina, faz uma vistoria geral e verifica o que é mais urgente. O orçamento das peças a serem trocadas é passada ao Marcio que negocia o melhor preço com fornecedores. O valor é dividido entre os dois, a BM não tem nenhum custo com os serviços. “Esperamos que outras pessoas se sensibilizem”, destaca o comandante do 32º Batalhão da Polícia Militar (BPM), major João Ailton Iaruchewski.
A ideia inicial, segundo Marcio, era que apenas uma viatura passasse pela revisão ao mês. Mas só em maio, a mecânica já recebeu dois veículos e deve receber o próximo até o final da semana. “Primeiro pensamos em uma a cada mês, são cerca de dez viaturas. Mas como conseguimos baixar alguns preços estamos acelerando. Acredito que em três meses teremos revisado todas”, comenta o empresário. Após a revisão de todos os carros, eles passarão, quando necessário, por uma manutenção. “Depois só manteremos o serviço preventivo”, explica Webber.
Para o comandante do 32º BPM a iniciativa trará mais qualidade ao atendimento em segurança pública. “São viaturas que rodam sete vezes por semana, há um desgaste muito grande, principalmente nos freios e na suspensão. Com os recursos que dispomos não há como deixar as viaturas em condições para o policiamento e sabemos a situação que o Estado enfrenta. Com carros em melhores condições teremos como atender a população de imediato”, destaca Iaruchewski.
JORNAL NH