Antropólogo colombiano fala sobre estratégias para combater a violência

113
Uribe Rocha falou sobre as ações em Medelin para enfrentar violência nos anos 90 palestrante
Uribe Rocha falou sobre as ações em Medelin para enfrentar violência nos anos 90 palestrante

A terceira reunião do Comitê Permanente de Segurança Metropolitano foi realizada, dia 13 de julho, no Plenário Ana Terra da Câmara Municipal de Porto Alegre,  e recebeu o diretor da Oficina de Resiliência de Medellín(Colômbia), Santiago Uribe Rocha, que falou sobre estratégias de resiliência e ações realizadas na cidade colombiana, assolada, no início dos anos 1990, pelo narcotráfico e tida como a mais violenta do mundo.

Uribe frisou que é importante planejar, porém é preciso tomar medidas efetivas, pensando em objetivos possíveis de serem alcançados em prol da redução da criminalidade. Para o antropólogo, o primeiro passo é realizar um diagnóstico para entender as razões da violência. “a violência não é o problema, é apenas a manifestação de um ou de vários problemas da sociedade”, afirmou.

ABAMF e ASSTBM estiveram na mesa diretora de trabalho, convidados pelo presidente da CMPA, Cássio Trogildo
ABAMF e ASSTBM estiveram na mesa diretora de trabalho, convidados pelo presidente da CMPA, Cássio Trogildo

Vários representantes dos mais diversos setores da sociedade gaúcha acompanharam a palestra, entre esses: Leonel Lucas(presidente da ABAMF), deputado Maurício Dziedrick (representando a Assembleia Legislativa), Alcebíades Santini( conselheiro-presidente da AGERGS – Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS).

Para o presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, vereador Cássio Trogildo, o trabalho realizado por Uribe serve de inspiração ao comitê. “Por meio dele, entendemos que é possível melhorar as condições de segurança nos países em desenvolvimento”. Port Alegre está entre as 50 capitais  mais violentas do mundo.

Paulo Rogério N. da Silva

Jornalista ABAMF