Diário de Santa Maria: Algumas cidades da região poderão ficar sem policiamento a partir de 2018, diz comandante do CRPO

127

19355502Coronel Worney diz que essa realidade pode ocorrer se as aposentadorias de policiais seguirem maiores que as contratações

Se você acha que a situação da segurança é preocupante, prepare-se, pois o futuro não é animador. Até o comandante do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) Central, coronel Worney Mendonça, admitiu que, se não houver contratação de mais policiais e a destinação para pequenas cidades, alguns municípios menores da região poderão ficar sem policiamento da Brigada Militar a partir de 2018, pois há PMs se aposentando, mas sem reposição.

– Há cidades menores com apenas quatro PMs – relatou.

Na prática, hoje em dia já são feitas patrulhas compartilhadas em algumas cidades, como na Quarta Colônia, onde em vez de ficar só um PM em Faxinal e outro em Polêsine, eles trabalham numa só viatura e percorrem as cidades ao longo do dia. Mas se o temor de Worney se confirmar, a situação vai piorar.O governo contratou 550 PMs, que irão para as ruas até o final do ano, e vai convocar 770 em janeiro e outros 700 em julho de 2017. ( ABAMF – Por enquanto ficou só no anuncio )

O problema é que este número nem supre as aposentadorias. Só em 2015, 1.880 policiais saíram, e de janeiro a maio deste ano, já foram mais 911. Se a média se mantiver, 2016 fechará com mais de 2 mil aposentadorias.

Segundo a ABAMF, associação que representa os PMs, esse número cresceu no governo Sartori, que tirou a gratificação especial que incentivava policiais a seguirem na ativa, mesmo quando já têm idade para se aposentar.

Mais de 45 policiais do BOE de Santa Maria ainda continuam na Capital

Policiais do Batalhão de Operações Especiais estão desde fevereiro reforçando efetivo que atua na Operação Avante

Desde o final de fevereiro, o 2º Batalhão de Operações Especiais (2º BOE) da Brigada Militar de Santa Maria conta com policiais em apoio ao efetivo que atua na Operação Avante, em Porto Alegre. O número de policiais, que já chegou a 66, agora é menor: 46.

A quantidade de viaturas de Santa Maria na Capital também diminuiu. Até 10 veículos já estiveram participando da operação que combate o tráfico de drogas nos bairros Santa Tereza, Bom Jesus, Rubem Berta e Vila Jardim. Cinco viaturas continuam lá.

– Somos uma unidade diferenciada, como tropa reserva, trabalhamos em outros locais quando há necessidade. É importante deixar isso bem claro para a comunidade. Apesar disso, continuamos trabalhando aqui, empregando o nosso efetivo onde os índices de ocorrências estão mais elevados. Também atuamos nos chamados pontos de referências comunitárias, onde realizamos abordagens. Estamos dando uma intensificada nos ônibus, devido aos últimos acontecimentos – explica o major Paulo Antônio Flores de Oliveira, comandante do 2º BOE.

Não há um prazo determinado para que os policiais do 2º BOE retornem a Santa Maria.

Diário de Santa Maria