Conselho de Estatística questiona pesquisa que apontou apoio a pacote de Sartori

159

rrtrInstituto Pesquisas de Opinião (IPO), que realizou levantamento para entidades do setor produtivo, não está registrado no Conselho de Estatística

O Instituto Pesquisas de Opinião (IPO), que divulgou levantamento sobre o apoio de gaúchos ao pacote de medidas de Sartori, não detém registro no Conselho Regional de Estatística da 4ª Região. A informação foi confirmada pelo presidente do Conselho, Rodrigo Coster, para quem isso abre questionamentos sobre os resultados da pesquisa. Segundo Costa, como não há estatístico da empresa IPO registrado no Conselho, não é possível saber se foi adequada a metodologia da pesquisa e análise de dados.

“Não temos nenhuma empresa registrada em nome de IPO e nem com CNPJ do IPO. A princípio não está registrado no Conselho. Isso significa que nós não sabemos se foi um estatístico que fez essa pesquisa. Sem esse registro não sabemos se foi feito um plano amostral adequado, se foi de fato aplicado, quem realizou a análise. Tem todos esses problemas de não ser registrado no Conselho. Não tem essas garantias”, disse Rodrigo Coster.

Conforme o próprio site do IPO, não há estatísticos na equipe coordenada pela socióloga e cientista política Elis Radmann. Conforme as informações do próprio instituto, a equipe de 14 pessoas é formada por sociólogos, administradores, cientistas políticos, psicóloga, economista e analista de pesquisas.

O IPO divulgou nessa terça-feira uma pesquisa apontando que a maioria dos gaúchos é a favor de diversas medidas do pacote enviado por Sartori que deve ser votado nos próximos dias na Assembleia.

A pesquisa foi contratada por Farsul, Fecomércio, Federasul, Sistema Fiergs, FCDL e Agenda 2020 e foi divulgada junto de um “Manifesto de Apoio ao Plano de Modernização do Estado” assinado pelas entidades.

Segundo o presidente do Conselho Regional de Estatística, a comercialização de pesquisas só pode acontecer por institutos registrados no conselho. “Se a empresa comercializa a pesquisa estatística, ela é obrigada a estar registrada no Conselho e com estatístico responsável. A princípio é ilegal essa prática”, disse Coster.

Após o divulgação da pesquisa, o governo do Estado replicou o material no site oficial, com o título “Pesquisa revela que 72,4% dos gaúchos apoiam medidas propostas por Sartori”.

A reportagem da Rádio Guaíba não localizou a socióloga e cientista política Elis Radmann, até o início da tarde desta quarta-feira, para comentar o tema. O diretor-administrativo do IPO, Martinho Orso, também não foi localizado.

Instituto participou de seminário do governo em abril

Em abril desse ano, o IPO foi convidado a participar de um seminário do governo do Estado, apresentando uma pesquisa sobre o entendimento dos gaúchos acerca da crise financeira. Naquele momento, o site do governo do Estado divulgou a pesquisa com o título “População entende esforço do governo para superar crise, revela pesquisa”.

Em entrevista à Rádio Guaíba, a diretora do instituto, à época, afirmou que a pesquisa não foi encomendada pelo governo e fazia parte da rotina de questionários aplicados à população.

 clique-aqui-e-confira-a-integra-da-pesquisa-divulgada-ontem

Fonte:Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba