ZERO HORA: POLICIAIS CIVIS poderão ser excluídos da reforma da Previdência que tramita na Câmara

269
IMAGEM ILUSTRATIVA
IMAGEM ILUSTRATIVA

POLÍTICA + | Rosane de Oliveira

POLICIAIS CIVIS poderão ser excluídos da reforma da Previdência que tramita na Câmara, em nome da isonomia com os militares. Foi isso que a presidente da Associação dos Delegados de Polícia, Nadine Anflor, ouviu do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, durante encontro em Brasília.

Ministro da Justiça recebe entidades de todo o Brasil para debater Reforma da Previdência

Nesta quarta-feira, 14/12, diversas entidades de todo o Brasil e deputados federais estiveram no gabinete do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, para debater a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Reforma da Previdência.

A proposta do governo Michel Temer estabelece, dentre outras regras, que para ter a aposentadoria com o valor integral os trabalhadores da iniciativa privada e do setor público deverão contribuir por 49 anos para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A ASDEP e demais entidades estiveram reunidas com o ministro da Justiça para mostrar algumas especificidades da área da segurança. Foram apresentados argumentos como a taxa de mortalidade de policiais, a expectativa de vida, o grau de estresse no exercício da função e a atividade de risco praticada diariamente.

Alexandre de Moraes reconheceu a necessidade de um tratamento diferenciado para polícias e Forças Armadas, porém, ainda assim, salientou a importância de todos os órgãos e cidadãos brasileiros fazerem esforços para recuperação econômica do país.

O ministro garantiu aos presentes no encontro que defenderá perante o presidente da República Michel Temer a retirada de todas as polícias da PEC, entendendo que esta área requer um debate mais aprofundado no futuro.

ASDEP