Câmara condecora quatro brigadianos por ato de bravura

171
Homenagem de honra ao merito.

Os homenageados enfrentaram criminosos em abril de 2016 em perseguição por diversos bairros.

Em sessão solene, na noite desta terça-feira (13/3), a Câmara Municipal de Porto Alegre concedeu Diplomas de Honra ao Mérito aos soldados Ivan Ceschini Biscaglia e Marcelo Costa e Silva, ao terceiro-sargento Luís Carlos Oliveira da Rocha e ao primeiro-sargento Alexsandro Jacobowski. Eles pertencem ao 11º Batalhão da Polícia Militar. Conforme a Mesa Diretora da Casa, proponente da homenagem, por sugestão do vereador Valter Nagelstein (PMDB), eles foram condecorados porque agiram em “defesa e garantia da ordem e da segurança da sociedade porto-alegrense, pois entraram em confronto e perseguição com suspeitos fortemente armados, em um ato de bravura que resultou na morte destes”.

Nagelstein qualificou a ação como um ato heroico de uma ação exitosa, conduzida com muita técnica policial, agilidade e coragem, que garantiu a integridade física de terceiros e a própria vida dos policiais envolvidos. Os propositores atentam que “a ação foi amplamente divulgada na mídia, nas redes sociais, tendo inclusive repercussão internacional”. O confronto com perseguição ocorreu em diversos bairros de Porto Alegre em 22 de abril de 2016, começando no Bairro Vila Jardim, com diversas trocas de tiros e perseguição aos criminosos por terra e ar. O confronto final ocorreu em frente ao Hospital Cristo Redentor, numa intensa troca de tiros com armas de diversos calibres e criminosos em carros de alta potência, os quais foram mortos sem danos colaterais.

O vereador ressaltou que a homenagem foi mais do que justa porque os policiais agiram em defesa da sociedade num país em que 60 mil pessoas são mortas por ano. Para Nagelstein, não se pode relativizar a atividade criminosa e tornar culpados os que agem em defesa da lei. Ele lamentou que atualmente os bandidos possam agir impunemente armados, enquanto o cidadão de bem não pode exercer o seu direito à autodefesa. Ele lembrou um determinado dia do ano de 1992, em que perdeu um amigo de nome Marcelo atingido por tiros nas costas “de maneira covarde”. Segundo o vereador, não existe uma família no Brasil que não tenha uma história semelhante para contar, de pessoas próximas vítimas da violência urbana. No seu entendimento, o ambiente no país é de guerra civil.

Em nome dos homenageados, o comandante do 11º BPM, Major Douglas Soares, disse que os policiais, na tarde de 22 de abril, agiram em defesa da sociedade com cautela e precisão, pois, em um ato de bravura, impediram que uma ação de troca de tiros com bandidos terminasse no interior do Hospital Cristo Redentor. “Eles agiram como os demais integrantes da Brigada Militar que saem todos os dias de casa para arriscarem suas vidas na defesa da sociedade gaúcha”, resumiu o major.

O presidente da Casa, Cassio Trogildo (PTB), disse que, nos próximos dias, o tema da segurança pública será tratado formalmente dentro do Legislativo por tratar-se de uma demanda também do município e que a Prefeitura terá de enfrentar de maneira objetiva. Participaram da cerimônia a vereadora Comandante Nádia (PMDB), o secretário de Segurança Pública, Cezar Schirmer, o comandante do Policiamento da Capital, Coronel Jefferson de Barros Jaques, e representantes do Comando Militar do Sul e do V Comando Aéreo de Canoas, entre outras autoridades.

Texto: Fernando Cibelli de Castro reg. prof. 6881)
Edição: Claudete Barcellos (reg. prof. 6481)

Câmara Municipal de Porto Alegre