CORREIO DO POVO: Apenas 2,7% consideram ótima administração de Sartori, diz pesquisa

178
Apenas 2,7% consideram ótima administração de Sartori, diz pesquisa | Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / CP

Levantamento ainda mostra Ana Amélia Lemos com mais votos em eventual disputa com governador

Levantamento feito pela Paraná Pesquisas sobre a sucessão estadual no Rio Grande do Sul mostra dois cenários possíveis. Em um deles, sem a senadora Ana Amélia Lemos (PP) na disputa, o governador José Ivo Sartori (PMDB) estaria na frente. No outro cenário, com a senadora, ela obteria mais votos que Sartori. Na mesma pesquisa, foi avaliada a administração de Sartori. De acordo com os índices obtidos, 2,7% dos entrevistados consideram ótima a atual administração do Estado, 24% acreditam que ela seja boa e 33,4% classificam de regular. De forma geral, 50,5% desaprovam o governo até o momento, e 45,6% aprovam.

Para a realização do levantamento foi utilizada uma amostra de 1.508 eleitores do Estado, sendo esta estratificada segundo sexo, faixa etária, nível de escolaridade, nível econômico e posição geográfica. O trabalho de levantamento de dados foi feito através de entrevistas pessoais com eleitores maiores de 16 anos em 68 municípios, entre os dias 2 e 5 de maio.

Para a seleção da amostra utilizou-se o método de amostragem estratificada proporcional. Conforme o mapeamento do Estado em sete mesorregiões homogêneas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia a e Estatística (IBGE), esta divisão geográfica foi considerada como primeira estratificação. Segundo Murilo Hidalgo Lopes de Oliveira, diretor da Paraná Pesquisas, tal amostra representativa atinge um grau de confiança de 95% para uma margem estimada de erro de aproximadamente 2,5% para os resultados gerais.

Pesquisa identifica situações inesperadas

O levantamento Paraná Pesquisas, publicado nesta edição, sobre a eleição de 2018 ao Palácio Piratini, identificou algumas situações que podem ser consideradas inesperadas. Uma delas é o desempenho do governador José Ivo Sartori. Apesar do desgaste gerado por questões como o congelamento de gastos, a defesa de privatizações e a crise na segurança pública, além dos sucessivos atrasos no pagamento da folha do funcionalismo, o peemedebista, colega de partido do desgastado presidente Michel Temer, aparece como candidato viável. No cenário em que Ana Amélia Lemos é citada como representante do PP, a senadora aparece em primeiro lugar, com 25,9% das intenções de voto, e Sartori em segundo, com 17,8%. No quadro em que Ana Amélia não é alternativa, o peemedebista aparece como preferido entre os entrevistados, com 21,0%, abrindo margem considerável de vantagem em relação a Manuela D’Ávila, do PC do B, que fica com 9,9%, e Luciana Genro, do PSol, que obteve 9,8% das intenções de voto. Chama atenção também o desempenho de lideranças como o ex-prefeito de Canoas Jairo Jorge, recentemente filiado ao PDT, e do ex-ministro Miguel Rossetto, do PT. Nos dois cenários pesquisados, Jairo Jorge aparece com 3,8% e 4,4% das intenções de voto, respectivamente, e tecnicamente empatado com Rossetto, que fica com 2,2% e 2,6% das intenções de voto. No mesmo levantamento, 38,7% dos entrevistados consideraram a administração de Sartori como ruim ou péssima, enquanto 26,7% a classificaram como ótima ou boa e 33,4% como regular.