Entidades entregam sugestões do Plano de Carreira ao Comando da BM

617
Entidades conversaram com o Comando sobre a valorização dos brigadianos.

ABAMF, ASSTBM, AOFERGS, FERPMBMS e membros do Grupo Bravo, entregaram, na tarde de 17 de maio, ao comandante-geral da BM, coronel Andreis  Dal’Lago, as propostas deliberadas nas Plenárias da categoria brigadiana para alterar o plano de carreira dos servidores de nível médio da BM.

Há temas que provocaram polêmica nas reuniões, tais como; a volta de todos os postos e graduações(cabo, 2° tenente), mas foram aprovados pela maioria.Por isso,  o  documento foi encaminhado pelas entidades. A intenção é permitir a ascensão funcional dos brigadianos, hoje está estagnada.

As  plenárias foram realizadas, a partir de março, na capital e interior do estado, sob coordenação das Regionais ABAMF, ASSTBM,  Associações independentes e OPMs da Corporação, a fim de esclarecer  a categoria sobre os diversos pontos que compõe o plano de carreira.

O Comando da BM analisará  a proposta e depois manterá novas conversas com as representações.

 

Documento com sugestões ao plano de carreira está com o comandante-geral

RESUMO DA PROPOSTA ENTREGUE AO COMANDANTE GERAL

As entidades de classe representadas pela ABAMF, ASSTBM, AOFERGS, FERPMBMRS, e grupo Bravo, na pessoa de seus dirigentes e representantes; trazem este arrazoado a respeito do levantamento efetuado no Estado do Rio Grande do Sul, em forma de plenárias com todas as graduações e postos que compõe o nível médio da instituição, cujo objetivo foi levantar pontos de convergência sobre os problemas apresentados pela categoria com relação à carreira policial militar, instituída pela lei 10.992/97, ao mesmo tempo em que foi oferecido aos presentes nas plenárias, tópicos essenciais, segundo os dirigentes associativos, para que a situação possa ser corrigida e, assim dando possibilidades de transformação na carreira, com perspectivas concretas e bem definidas de progresso funcional como acontece em todas as PM do Brasil.

Os tópicos apresentados nas reuniões foram:

  1. Ingresso com nível superior na base da instituição, ou seja, na graduação de Soldado; o que equiparará os Policiais Militares as demais forças estaduais que hoje já tem tal requisito como exigência para ingressar nos cargos. Salientamos ainda que pretendemos uma socialização dos cursos, de forma que qualquer formação superior possa ser aproveitada pela instituição, desde os cursos de tecnologia, bastando para tal que a graduação tenha reconhecimento pelo Ministério da Educação. Este item teve aprovação de todas as plenárias realizadas por unanimidade;
  2. Preenchimento dos cargos vagos na instituição, também foi votado obtendo a unanimidade dos presentes em todas as plenárias.
  3. Retorno de Postos e Graduações, foi aprovado por maioria nas plenárias, entretanto, não foi unanime.
  4. Carreira de Soldado a Capitão, assim permitindo que ao ingressar na instituição o ocupante de cargo inicial possa já se planejar onde pretende chegar ao longo de sua trajetória funcional. Colocamos para os presentes que a partir de 2º Tenente o Quadro poderia ser chamado de Auxiliar, assim na ausência do Oficial de Estado Maior o Auxiliar poderia substituí-lo eventualmente. Este item foi unanimidade em todas as plenárias.
  5. Regras de transição bem estabelecidas; neste quesito houve unanimidade, porém em algumas reuniões os presentes ressaltaram que deve se ter cuidado para não haver prejuízos nem aos mais antigos e nem aos mais novos.
  6. Permanência da promoção na reserva; foi unanime o apoio, porém em todas as plenárias ficou claro para o público que podemos tentar garantir, entretanto, continuaremos correndo riscos ao longo dos próximos governos, principalmente em função das mudanças pretendidas, desde o governo federal até o estadual.
  7. Reforma da porcentagem de ascensão por antiguidade; como os demais foi aprovado por unanimidade, porém em alguns locais o efetivo presente entendeu que deveria ser de 50 por cento por mérito e 50 por cento por antiguidade.

Fotos: Rafael Silva

Paulo Rogério N. da Silva

Jornalista ABAMF