GAÚCHA: Piratini orienta base a não votar projetos na Assembleia hoje

243
Ao todo, Assembleia Legislativa está com 52 projetos prontos para votação Foto: Omar Freitas /Agencia RBS

Temendo desgaste, Piratini orienta base a não votar projetos na Assembleia nesta terça

Reunião de líderes partidários irá bater o martelo sobre o esvaziamento da pauta

Mais uma vez, a pauta de votações da Assembleia Legislativa ficará congelada. Pelo menos, essa é a intenção do governador José Ivo Sartori. Em um café da manhã com a base aliada nesta terça-feira (20), deputados ouviram os planos do Executivo para a sessão plenária desta semana, marcada para as 14h. A justificativa aponta para o desenrolar das negociações da recuperação fiscal em Brasília. No entanto, o Piratini também quer evitar atritos com a oposição, que fará fortes cobranças pela ação policial na Ocupação Lanceiros Negros, na quarta-feira (14) passada.

Enquanto isso, projetos que ficaram pendurados nas últimas semanas, após retirada de quórum pela base aliada, seguirão parados. Entre eles, a emenda constitucional que retira o tempo de licenças dos servidores para o cálculo da aposentadoria e os projetos que concluem a separação da Brigada Militar e dos Bombeiros.

Em meio a isso, quatro projetos, que estavam tramitando em regime de urgência, passam a trancar a pauta. Os textos determinam a ampliação do tempo de trabalho de brigadianos, a alteração do regime de trabalho de agentes penitenciários, a redução em 30% dos créditos fiscais presumidos e a instituição de taxas na área ambiental.

Grande Expediente

No início da sessão plenária desta terça-feira (20), o período de Grande Expediente – momentos em que são realizadas homenagens ou destaques a temas considerados importantes pelos deputados, irá tratar da ação policial que culminou na retirada de família da Ocupação Lanceiros Negros, realizada na última semana. Durante a operação, o deputado Jeferson Fernandes (PT) chegou a ser detido pela Brigada Militar (BM).

O caso envolvendo o parlamentar foi fortemente criticado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Edegar Pretto (PT), que discutiu o assunto com José Ivo Sartori na noite dessa segunda-feira (19). O governador garantiu que a BM está averiguando os procedimentos adotados.

Recuperação fiscal

O secretário estadual da Fazenda, Giovani Feltes, se reuniu nessa segunda-feira (19) com a Secretaria do Tesouro Nacional (STN), responsável por formatar a recuperação fiscal dos Estados. A maior dúvida dos gaúchos no momento é se poderão aderir ao plano mesmo sem privatizar a CEEE, a Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Sulgás.

O órgão deve trazer uma resposta definitiva até o final de julho, já que aguarda a regulamentação do texto aprovado no Congresso pelo presidente Michel Temer. Até obter essa resposta, o Piratini deve seguir na estratégia de evitar desgastes na Assembleia Legislativa.

GAÚCHA