Ato em Pelotas resulta no apoio da Câmara Municipal aos servidores da segurança

95

O segundo protesto – o primeiro aconteceu em Porto Alegre em setembro – realizado pelo Fórum de Entidades da Segurança Pública aconteceu ontem(8/10), em Pelotas com a participação da ABAMF, ASSTBM, ABERGS, ASOFBM, UGEIRM, OFERGS e Entidades independentes locais. O resultado imediato da manifestação foi o apoio da Câmara Municipal da cidade as reivindicações dos Militares Estaduais e Policiais Civis. Nos próximos dias, o Legislativo Municipal votará uma moção de repúdio contra os projetos do Executivo Estadual que atacam direitos históricos das categorias. No final do ato foi conhecida a vitória na Assembleia Legislativa sobre o PEC 276/2019, do governo, que acabava com a licença capacitação. Os deputados entenderam o posicionamento dos servidores da segurança e derrubaram a tentativa de mudança na Constituição Estadual.

Em Pelotas, o trabalho começou muito cedo. As entidades da Brigada Militar, Bombeiros Militares e Polícia Civil, realizaram reunião para definir passos finais do movimento que aconteceu à tarde. Na reunião, também debateram o anúncio do governo estadual das medidas que atacam o salário e os direitos dos servidores públicos do RS.

Às 13h, começou a concentração no centro de Pelotas, bem próximo do calçadão. Presidentes das associações e sindicatos discursarão pedindo o apoio da sociedade e falando sobre a situação dos policiais e bombeiros.

Perto das 14h, os manifestantes saíram em caminhada na direção da Câmara Municipal. No caminho foram aplaudidos por algumas pessoas e cumprimentaram brigadianos que estavam no policiamento. Não houve nenhum problema no percurso, uma vez que o trânsito era liberado rapidamente e o carro de som avisava que o movimento era dos policiais e bombeiros, sendo ordeiro.

Ao chegar a Câmara Municipal de Pelotas, os dirigentes das entidades foram recebidos pelo vereador Marcos Fereira – Marcola – e entregaram o documento com as reivindicações dos servidores. “A Câmara de Vereadores de Pelotas está junto na luta. O desmonte do serviço público não irá solucionar os problemas do RS”, afirmou Marcola. Disse, ainda, que o Legislativo votará, nos próximos dias, uma moção de repúdio contra o ataque aos direitos dos servidores da segurança pública.

O presidente da ABAMF, José Clemente, ressaltou no encontro com o vereador que a sonegação deveria ser combatida. Reivindicou que os vereadores esclareçam a população, como representantes do povo, pelos canais de comunicação que dispõe. “Nós estamos aqui para dizer que não estamos contentes. Nós pagamos com o preço da própria vida a defesa da sociedade”.

No final, os manifestantes cantaram o Hino Rio Grandense e dispersaram.