Amor à Pátria e a Defesa da Democracia

70

A Independência do Brasil em 1822 revelou o desejo de liberdade e soberania do povo e, ao mesmo tempo, o desejo de que a nova Nação ocupasse papel relevante no cenário internacional.


Passado 199 anos do grito de Independência de D. Pedro I , percebemos que a Nação Brasileira convive ainda com a injustiça e a desigualdade social, demonstrando o quão grandes são nossos desafios e o quão importantes e necessários são os esforços da sociedade e do Poder Público para a superação dessas mazelas sociais.


Se em 1822 a bravura, a coragem e o desejo de liberdade moveram homens e mulheres , o atual momento da Nação Brasileira demanda ainda mais bravura e coragem para enfrentarmos a fome, a violência, a discriminação e a intolerância, com o firme compromisso constitucional com a liberdade, a solidariedade e a democracia.


A defesa da soberania do Estado Brasileiro, dos valores democráticos e da justiça social passa permanentemente pelo trabalho, a dedicação e o compromisso de homens e mulheres que arriscam diariamente suas vidas pela segurança, pela vida e pela liberdade do povo.


Sim, nós, Militares Estaduais, como filhos que jamais fogem à luta, possuímos o firme compromisso com a garantia do Estado Democrático de Direito e a proteção da sociedade gaucha.


Sim, nós, Militares Estaduais, filhos dessa Pátria amada, levamos em nossos corações o amor e a esperança numa sociedade mais justa e digna em que homens e mulheres que arriscam suas vidas diariamente pela segurança da população gaúcha sejam devidamente reconhecidos e valorizados pelos governantes.