NOTA DE REPÚDIO

1582

Na tarde de 17 de fevereiro de 2024, uma ocorrência policial na capital do Estado do  Rio Grande do Sul, repercutiu em vários sites e noticiários do País, onde supostamente uma guarnição da Brigada Militar, teria adotado procedimentos de cunho racista no atendimento de uma ocorrência policial.

Sobre este fato, a ABAMF se põe totalmente discordante sobre as matérias publicadas, entre elas, a do dia 17 de Fevereiro com o título ”Homem negro é ferido com faca, chama PMs e acaba detido” cujo autor, o jornalista Humberto Trezzi, foi parcial, induzindo a população contra os integrantes da Brigada Militar.
Tal atitude sem a devida apuração dos fatos por completo, é precoce e de caráter sensacionalista, sem preocupação com a verdade, e ainda, manchando a imagem não apenas dos policiais militares que fizeram o atendimento da ocorrência, mas sim, de toda a instituição Brigada Militar.


No mesmo sentido, manifestamos TOTAL REPÚDIO a afirmação do Ilustre Deputado Estadual Matheus Gomes do PSOL , o qual afirmou que “Impera o racismo na Brigada Militar”, pois a instituição além de ser uma defensora da legalidade e Direitos Humanos da população, possui em seu quadro servidores das mais diversas “raças” e etnias, não havendo qualquer forma de distinção tanto com seus servidores quanto com a população a qual defende 24h por dia.
Nesse aspecto, a ABAMF-BM também se põe perplexa com a atitude do Sr. Governador do Estado Eduardo Leite, ao manifestar-se sobre o fato, deixando mesmo que intrinsecamente, a impressão que condena a ação dos Policiais Militares mesmo antes da apuração dos fatos. 

A ABAMF não poupará esforços para que nossos Policiais tenham respeitados seus direitos ao contraditório e ampla defesa, e ainda, que não sejam prematuramente condenados aos olhos da sociedade a qual arriscam suas próprias vidas para defende-la.

QUEM ATACA A BRIGADA MILITAR, ATACA A POPULAÇAO GAÚCHA, POIS ENFRAQUECE A BARREIRA ENTRE O BEM O MAL NO ESTADO.