CORREIO DO POVO: BRIGADIANOS PRESOS – Familiares protestam em frente ao TJ

17580688Advogado reivindica que PMs tenham a oportunidade de responder ao processo em liberdade

Amigos e familiares de quatro policiais militares presos preventivamente na última sexta feira em Encantado fizeram um protesto em frente ao Tribunal de Justiça do Estado, na tarde de ontem. Além da família, os advogados dos detidos e também colegas de farda, como o 1º tenente da reserva Diógenes Berthes Silva, participaram do ato. Os brigadianos foram detidos sob a acusação de formação de milícia privada. Os sargentos Roberto Mauri Guzas e Silvio Cesar Centeno, o soldado Ismael Giusti e o oficial da reserva Sérgio Ricardo Viegas foram detidos com mais outros suspeitos por uma força-tarefa formada pelo Ministério Público, Polícia Civil e Brigada Militar. Segundo o advogado Christian Tombini, defensor dos PMs, os familiares querem que os brigadianos sejam postos em liberdade. “Queremos que os quatro policiais militares tenham a oportunidade de responder ao processo em liberdade, em respeito à Constituição Federal”, destacou o advogado. Conforme ele, os quatro policiais militares foram contratados por um candidato à prefeitura de Encantado para realizar o serviço de segurança particular. “Isso, ainda que constitua uma infração funcional, não configura um crime”, acentuou Tombini. “O candidato estava sendo ameaçado, inclusive ele registrou uma ocorrência por conta disso e resolveu pedir o auxílio dos PMs”, explicou o defensor dos suspeitos. Ângela Seniw Ribeiro, esposa de um dos PMs detidos, disse que por causa do parcelamento dos salários, seu marido, o sargento Roberto Guzas, resolveu aceitar a oportunidade para complementar a renda, pois ele recebeu apenas R$ 810 no mês passado. “Todas as nossas contas estão atrasadas”, lamentou Ângela. “A escola das crianças, as nossas faculdades, tudo”, explicou. O advogado ressaltou que os policiais militares não tinham intenção de cometer um crime, mas sim ter mais uma renda, pois a seus salários estão sendo parcelados pelo Estado. A operação ocorreu na última sexta-feira e culminou com a prisão de 11 pessoas em flagrante, suspeitas de ameaçar eleitores no município de Encantado, no Vale do Taquari. Entre os detidos estavam os quatro PMs. Todos foram presos preventivamente. Oito armas foram apreendidas. Conforme o promotor eleitoral André Eduardo Prediger, os 11 suspeitos seriam responsabilizados por formação de milícia privada. A acusação de ameaça a eleitores foi recebida pela Justiça Eleitoral, que repassou ao Ministério Público.

CORREIO DO POVO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *