Moradores protestam por mais segurança em São Sepé

192
Foto: Jean Pimentel / Agência RBS
Foto: Jean Pimentel / Agência RBS

Estimativa da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) é de que haja mais de 900 pessoas reunidas

Comerciantes e moradores de São Sepé, na Região Central, se reuniram e bloquearam, por volta das 10h desta sexta-feira, a BR-392, protestando por mais segurança. As informações são da Rádio Gaúcha.

O trânsito também ficou bloqueado por 15 minutos. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) está no local. Segundo estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), mais de 900 pessoas participam do protesto. A Brigada Militar (BM) não acompanha o protesto.

O protesto é uma iniciativa da CDL e do Sindicato do Comércio Varejista do município (Sindilojas). Na manifestação, estão reunidos integrantes do comércio, da indústria e a população em geral.

Da BR-392, eles vão seguir pela Avenida Júlio Vargas até a Praça das Mercês. Em seguida, será entregue um documento com assinaturas de cidadãos que deverá ser encaminhada ao Governo do Estado como forma de pressão, de acordo com a presidente do Sindilojas, Isabel Ineu.

O quadro da segurança

Há 22 policiais militares, sete civis e um delegado em São Sepé. A Organização das Nações Unidas (ONU) não sugere um número de policiais por número habitantes, pois dependente da realidade de cada município.

Já o delegado titular em São Sepé, João Parmeggiani Pes, diz que o quadro da polícia civil não é o ideal. Além disso, nos últimos meses ouve uma onda de crimes no município, principalmente furtos e roubo.

Em abril, uma ação civil pública determinou que o Estado encaminhasse 48 policiais para São Sepé – 33 militares e 15 civis – dentro de seis meses. Na época, a procuradoria jurídica do município pediu uma reunião para negociar o número com o Estado, de forma paliativa, pois à ação ainda cabia recurso, o que faria com que levasse mais tempo para a chegada dos policiais. O Estado recorreu. O processo tramita na Justiça.

DIÁRIO DE SANTA MARIA