Sem horas-extras, estações de bombeiros da Capital podem fechar

171
Fontes dos bombeiros informaram à Gaúcha a unidade da Vila Assunção é uma das que correm risco Foto: Reprodução  / Google Maps
Fontes dos bombeiros informaram à Gaúcha a unidade da Vila Assunção é uma das que correm risco
Foto: Reprodução / Google Maps

Comando da corporação está tomando diversas medidas para evitar o fechamento das unidades

Diversas medidas estão sendo tomadas pelo Comando Regional dos Bombeiros de Porto Alegre para evitar o fechamento de estações na Capital. O motivo é a falta de efetivo em razão do corte de horas-extras praticado pelo governo Sartori.

Entre as ações, estão manobrar as escalas e remanejar funcionários da área administrativa para a escala de serviço, conforme explica o comandante regional Major Jarbas Ávila.

“Nós estamos tirando dinheiro da administração, estamos manobrando dentro das possibilidades das escalas. Em princípio, estamos fazendo todo o esforço para que nenhuma unidade seja fechada”, disse.

De acordo com o chefe dos bombeiros, todos serão colocados na escala de serviço, e o serviço terá. Mas ele alerta: “Agora, por quantos dias é que a gente não consegue saber. Mas isso não depende só de nós. Depende também da chegada de horas extras.

O Comando Regional não quis confirmar as unidades que correm o risco de fechar, mas fontes da corporação informaram à Rádio Gaúcha que trata-se das unidades da Restinga, Belém Novo e Vila Assunção. Conforme o major Ávila, nesta terça-feira será possível dar uma melhor resposta sobre a situação.

Rádio Gaúcha