O uso da tecnologia a favor da Segurança Pública

191
  Arte - Augusto Barros
Arte – Augusto Barros

WhatsApp se tornou um aliado no combate da criminalidade nas ruas de Pelotas

Já que os recursos estão escassos no orçamento do governo do Estado para o combate à violência, o jeito é inovar. Mensagens instantâneas, fotos e vídeos compartilhados por um grupo de policiais militares do 4º BPM, por meio do WhatsApp, se tornaram aliados contra a criminalidade em Pelotas.

Desde o início do ano, o aplicativo para smartphones tem sido usado como cúmplice da segurança pública no município e ajudado os policiais a retirar criminosos das ruas. As informações que chegam à polícia através da plataforma auxiliam nas repassadas ao Disque-Denúncia da BM (3227-7171) e ao 190.

De acordo com o subcomandante do 4º BPM, major Rogério Vasconcelos, a ferramenta já ajudou na recuperação de carros roubados e na prisão de suspeitos. “O grande facilitador desse aplicativo é a rapidez com que as informações chegam até nós. É um grande suporte”, disse. Em três meses, pelo menos dez carros foram resgatados pelos policiais devido a mensagens do repassadas ao grupo.

Segundo o major, por mexer com informações confidenciais, a confiabilidade é essencial para garantir a eficácia das ações. Por isso, o grupo criado é restrito aos setores que a polícia identificou como prioritários, em função das demandas na área de segurança. Por enquanto, a ferramenta não está aberta à participação de pessoas físicas em geral.

Major Vasconcelos enfatiza que, mesmo sendo mais uma aliado da polícia, o WhatsApp precisa ser usado com cautela. Segundo ele, há um padrão para utilização do aplicativo. Enquanto um policial verifica as informações que estão sendo compartilhadas, o outro fica atento à patrulha. Para ele, a troca de mensagens não pode atrapalhar o policiamento.

Uma campanha da Brigada Militar – WhatsApp, Use com Sabedoria – divulgada nas redes sociais mostra a agilidade da plataforma. Entretanto, também mostra os prejuízos causados caso o policial não esteja atento. A iniciativa, feita pelo grupo teatral Brigada em Cena – demonstra que se o policial estiver distraído durante um patrulhamento que aparentemente está calmo, roubos e outros delitos podem acontecer sem que percebam.

DIÁRIO POPULAR