PM assassinado em supermercado não fazia ‘bico’ no local, esclarece Polícia

150
Após troca de tiros, policial foi baleado na cabeça, no tórax e na virilha Foto: Câmera de vigilância / Reprodução
Após troca de tiros, policial foi baleado na cabeça, no tórax e na virilha
Foto: Câmera de vigilância / Reprodução

Militar fazia compras quando o estabelecimento foi atacado, na noite de ontem

A Polícia Civil descartou que o PM assassinado durante tentativa de assalto, na noite desta segunda-feira, ao supermercado Nacional da avenida Baltazar de Oliveira Garcia, tenha reagido porque fazia ‘bico’ no local. De acordo com a investigação, Marcos Correa Lucas, de 24 anos, fazia compras no estabelecimento quando o trio de assaltantes invadiu o supermercado e tentou praticar o assalto, na zona Norte da Capital. Ao perceber a prática criminosa, o militar reagiu e acabou baleado pelos assaltantes. Ele foi encaminhado com vida ao hospital Cristo Redentor mas não resistiu aos ferimentos e morreu no final da noite passada.

Um dos suspeitos do crime já foi reconhecido por testemunhas e está preso. Jessé Rafael Barbosa Rodrigues, de 23 anos, foi detido por estar foragido da Justiça. Outros dois criminosos, que são irmãos e vivem no bairro Bom Jesus, seguem foragidos. Um deles é o autor dos quatro disparos que vitimaram Lucas. Ele ainda roubou a arma do policial. Mais cedo, a Polícia informou que quatro suspeitos já haviam sido identificados mas, no fim da tarde, corrigiu a informação.

As câmeras de segurança do supermercado registraram a ação dos criminosos. Uma criança pode ser vista correndo em meio ao fogo cruzado. O policial morto era lotado no 1º BPM da Capital.

Fonte:Ananda Müller/Rádio Guaíba