Com mais dinheiro nas ruas, polícia reforça segurança em Caxias com Operação Papai Noel

139
Lançamento ocorreu na Praça Dante Alighieri Foto: Adriano Duarte/Agência RBS
Lançamento ocorreu na Praça Dante Alighieri
Foto: Adriano Duarte/Agência RBS

Ação foi lançada nesta sexta-feira

O policiamento de rua de Caxias do Sul será encorpado neste período de maior circulação de dinheiro no comércio e de escalada da violência no RS. A tradicional Operação Papai Noel foi lançada na manhã desta sexta-feira, na Praça Dante Alighieri, pelo comandante-geral da Brigada Militar, Alfeu Freitas Moreira, e pelo prefeito Alceu Barbosa Velho. O secretário estadual da Segurança Pública (SSP), Wantuir Jacini, que estava confirmado para participar da solenidade, não compareceu.
O acréscimo de mais PMs em áreas onde a população se concentra para compras irá se estender até o dia 31 de dezembro em todo o Estado. A ideia é monitorar o comércio e também regiões com mais crimes, num esforço conjunto entre instituições empresariais e órgãos de segurança.

A resposta das autoridades não é apenas contra os assaltos que tendem a aumentar com o pagamento do 13º terceiro salário. Se espera também reduzir os números da criminalidade divulgados na quinta-feira.

Levantamento da SSP confirmou impulso na ação da bandidagem na virada do segundo semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2014 no Estado. Houve acréscimo de 30,4% de roubo de veículos e 26,3% em assaltos em geral. Os homicídios também cresceram 3,5%, tendência acompanhada pelos latrocínios (roubo com morte), com 3,9% de aumento nos casos. Em Caxias do Sul, o roubo de veículos subiu 10%. Foram 530 casos de janeiro a setembro contra 482 registros no mesmo período de 2014.

O chefe do 12º Batalhão de Polícia Militar (12º BPM), tenente-coronel Ronaldo Buss, não revelou quantos PMs serão colocados a mais na ruas por questões estratégicas e administrativas.

O comandante Moreira adiantou que haverá cotas de hora extra para ampliar o efetivo na Operação Papai Noel e também durante o Natal Luz, em Gramado, o que pode incluir o deslocamento de policiais da área administrativa.

— A Brigada Militar tem que se mostrar visível, mas precisamos empregar o efetivo nas ruas com qualidade. O policial tem que sair da sua base já sabendo em qual local vai atuar.

Sobre o aumento da violência, o oficial reiterou que a presença ostensiva da BM é importante para que a comunidade se sinta segura.

— Vamos enfrentar isso melhorando a gestão do policiamento, usando o efeito com qualidade. O comando de cada cidade tem que nos repassar o mapa da criminalidade e informar o que está fazendo — complementou Moreira.

À reportagem, o comandante manteve o compromisso de continuar com o policiamento comunitário em Caxias do Sul, sem previsão de expansão por enquantoo:

— É uma referência para outros Estados, para o Japão, é uma experiência que deu certo no Rio Grande do Sul.

Moreira também disse que não há prazo para ampliar o efetivo da corporação no Estado, mas é um plano do governo.

Pioneiro