Interior do estado terá efetivo reduzido da BM

120
Fonte: Victor de Freitas/Band
Fonte: Victor de Freitas/Band

Instituição precisará deslocar efetivo em função da Operação Golfinho

A decisão de manter o número de policiais na Operação Golfinho semelhante ao do ano passado repercutiu de forma negativa junto às entidades que reúnem os funcionários da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros. Para as associações, levar os 2.800 soldados para o litoral fará com que as cidades do interior do Estado fiquem desfalcadas de policiais durante o veraneio.

Isso ocorreu porque 1.600 servidores da Brigada Militar se aposentaram em 2015, diminuindo o efetivo da instituição e a reposição ainda não veio. A Associação dos Cabos e Soldados diz que aguarda a chamada de 2.400 policiais aprovados em concursos públicos.

Para o presidente da Associação, Leonel Lucas, a situação preocupa. “Faltando mais de 17 mil homens no efetivo e perder 1.700 em menos de um ano é muito grave. E agora, com o policiamento na praia, para a Operação Golfinho, não sei que milagre será feito para esse verão”.

Para o Presidente da Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar e dos Bombeiros (ASSTBM), deslocar os policiais do interior do Estado não é suficiente para resolver a questão da segurança.

Com as aposentadorias, o quadro da Brigada Militar passou a contar com 20.500 e soldados, o menor número dos últimos 33 anos.

Clic Camaquã